Saiba como melhorar a dicção com estas 5 dicas de especialistas!

Saiba como melhorar a dicção com estas 5 dicas de especialistas!

Pense nesta situação: surge a oportunidade de contato com um potencial cliente difícil de se convencer. Ele abre um espaço na agenda, você se prepara da melhor forma para fazer uma boa apresentação do negócio, mas acaba se atrapalhando nas falas. Isso acontece, geralmente, porque os pensamentos e movimentos não estão na mesma frequência, prejudicando a dicção.

Mas como melhorar a dicção e evitar esse tipo de cenário? Ninguém deseja perder grandes oportunidades de negócio porque não conseguiu falar com calma, de maneira a ser compreendido, concorda?

A seguir, nosso tema deste conteúdo é a importância de construir a fala da melhor maneira, por isso, listamos sugestões para desenvolver a dicção. Acompanhe!

Por que é importante falar bem?

Durante a carreira, são inúmeras as ocasiões em que o profissional precisa demonstrar uma comunicação assertiva para convencer a audiência — mesmo que esta seja composta de uma só pessoa. Nesse sentido, a boa dicção é capaz de potencializar os argumentos e dar ainda mais clareza às suas falas.

A articulação das palavras contribui para que a outra pessoa compreenda o que se fala. Os constantes pedidos para que você repita o que disse e sinais de incompreensão do público podem causar grande impacto na confiança do profissional. Logo, você abre espaço à insegurança no próprio potencial, que leva à queda no rendimento e na produtividade. É uma reação em cadeia.

Agora pense em uma apresentação profissional, realizada para a empresa toda, por exemplo. Muito além da criação de um roteiro eficiente, é preciso colocar as ideias na prática, cuidando da entonação, da pronúncia e até da escolha das pausas.

Em um cenário mais distante, há quem busque como melhorar a dicção para perder o sotaque, por exemplo. O recurso costuma ser bastante útil para apresentadores de telejornal, que precisam dialogar de maneira mais neutra com a população e se fazer ouvir de um modo simples. Atores também se beneficiam da prática, tendo em vista a construção de personagens diversos.

Como melhorar a dicção em passos simples?

Não existem fórmulas que, de um instante para outro, melhorem a dicção de uma pessoa. O que há são cuidados e exercícios para treinar ao menos alguns minutos por dia para alcançar esse objetivo. Eles podem ser feitos logo ao acordar ou até antes de dormir. O importante é investir na prática sempre que possível.

homem apresentando e mostrando a como melhorar a dicção é importante

1. Trabalhe exercícios para a dicção

A dicção clara e precisa depende bastante da articulação da língua e dos músculos da região facial. Os exercícios são excelentes formas de trabalhar essas questões e moldar a maneira como a pessoa fala.

É importante ter cuidados consigo mesmo, mas nada substitui o auxílio profissional. Se quer saber como melhorar a dicção de vez, procure um fonoaudiólogo para o acompanhamento da sua fala. Paralelamente, continue investindo em exercícios como os que listamos a seguir.

Trava-língua

  • Num ninho de mafagafos há sete mafagafinhos. Quando a mafagafa gafa, gafam os sete mafagafinhos.
  • O Rato roeu a rica roupa do rei de Roma! A rainha raivosa rasgou o resto e depois resolveu remendar!
  • O tempo perguntou ao tempo quanto tempo o tempo tem, o tempo respondeu ao tempo que o tempo tem o tempo que o tempo tem.
  • A aranha arranha a rã. A rã arranha a aranha. Nem a aranha arranha a rã. Nem a rã arranha a aranha.
  • O que é que Cacá quer? Cacá quer caqui. Qual caqui que Cacá quer? Cacá quer qualquer caqui.

Caneta ou rolha

  • Coloque uma caneta ou rolha entre os dentes.
  • Trabalhe a pronúncia de numerais, dias da semana, rimas, entre outros recursos.
  • Após uma série de exercícios, treine sem o objeto entre os dentes, com foco na pronúncia.

2. Defina seu ritmo de fala

Há pessoas com a fala mais calma, enquanto outras seguem o ritmo do pensamento acelerado, dificultando a compreensão das mensagens. Vale encontrar um meio-termo em que você se sinta confortável, de modo a pronunciar todas as sílabas, sem que haja a sobreposição delas.

Aliado a isso, faça o relaxamento da sua voz, por meio do treino de nasalização. A prática funciona da seguinte forma:

  • posicione o polegar e o indicador sobre o nariz;
  • por cerca de 60 segundos, imite o zumbido de abelha com a boca fechada, sentindo a vibração do nariz;
  • faça uma pausa por 30 segundos e repita o exercício.

3. Ouça sua voz gravada

Esse exercício pode ser feito, inclusive, antes de todos os outros. Ele consiste em gravar a própria voz, a partir da leitura de um texto ou poema. Na sequência, coloque a gravação para tocar e ouça atentamente a sua fala, pontuando os aspectos que podem ser mais bem trabalhados.

Um deles se encontra nos vícios de linguagem que influenciam na credibilidade dos seus discursos — alguns como “tipo”, “aí”, “ãhm” e “é”. Com esse conhecimento, você pode treinar para não repeti-los.

4. Treine a respiração

Para que aconteça a fala, há a passagem de ar pelas cordas vocais. Isso significa que a respiração está intimamente relacionada com a boa dicção. Respirar fundo, pelo diafragma, é essencial para atingir os objetivos de falar melhor. Esse exercício é bastante recomendado por fonoaudiólogos.

Com a rotina movimentada, nem sempre nos lembramos de respirar corretamente. Esse também é um dos motivos que prejudicam o discurso. Por isso, é importante adquirir controle e capacidade respiratória.

O exercício de respiração é simples:

  • encontre uma posição confortável, seja sentado com a coluna reta, seja deitado. Então, coloque uma de suas mãos no abdômen, para sentir melhor a respiração;
  • inspire pelo nariz, enchendo o pulmão, e conte até 4;
  • segure a respiração por 2 segundos;
  • expire pela boca, contando também até 4. O ideal é esvaziar o ar do pulmão e da barriga;
  • repita esse exercício por 4 vezes e trabalhe-o todos os dias, para melhorar a respiração.

5. Preste atenção na pronúncia das consoantes

Tenha em mente que a prática contribui para as melhorias. Então, inclua na rotina de exercícios alguns momentos para treinar a sua fala. Aqui, note como as consoantes estão saindo: se são pronunciadas de maneira clara, se elas se misturam a outros fonemas ou se unem a termos próximos.

O ideal é que elas sejam mais limpas e bem pronunciadas. Para isso, um exercício interessante vem com a leitura em voz alta de poemas e frases, sempre com foco na pronúncia. Alguns minutos de treino por dia fazem bastante diferença na sua fala.

Quem busca como melhorar a dicção demonstra investimento no futuro profissional. Como se vê pelos benefícios dessa prática, é uma grande oportunidade para aliar a boa fala com seu poder de persuasão. O resultado é notado nas apresentações, reuniões, conversas importantes com clientes e líderes, entre outros cenários.

Você conhece outras formas para melhorar a dicção? Gostou das sugestões do conteúdo? Deixe o seu comentário contando para nós!

 

Comunicação assertiva: saiba se comunicar com colaboradores

Você sabia que a comunicação assertiva está entre as principais soft skills mais valorizadas pelo mercado? De acordo com dados da McKinsey, os profissionais de RH sentem dificuldade de encontrar talentos com capacidade de resolver problemas, de negociar em cenários complexos e de se comunicar –– que são, basicamente, alguns dos pilares dessa habilidade que mencionamos.

Essa relevância fica ainda mais evidente quando vemos que 60% dos problemas em uma empresa acontecem por falta de comunicação. É por isso que os líderes que desejam reconhecimento e destaque no mercado devem priorizar essa competência para os próximos anos.

Para que você conquiste seus objetivos com uma comunicação assertiva, acompanhe este conteúdo. Falamos sobre o significado, as vantagens de investir nessa ideia e, sobretudo, como adotá-la em seu dia a dia profissional — já adiantamos que ela é essencial para líderes, que precisam gerir equipes!

O que é ter uma comunicação assertiva?

Pessoas em volta de uma mesa de trabalho, usando a comunicação assertivaSer assertivo é usar a clareza, a objetividade e a calma para expor um posicionamento ou transmitir uma mensagem. Não tem a ver com estar certo, mas com ser firme nessa comunicação interpessoal, sem provocar qualquer constrangimento à pessoa com quem se fala.

Então, podemos dizer que uma comunicação assertiva é aquela em que não há rodeios nem falta de confiança para falar. A pessoa tem um objetivo e segue com ele para fazer seu discurso, apresentação ou até mesmo em um simples diálogo na empresa. Aqui, também não dá espaço para interpretações diferentes ou ruídos na fala.

Diferenças entre comunicação assertiva, agressiva e passiva

Vale destacar que a comunicação assertiva é firme, mas de modo algum é agressiva –– por mais que algumas pessoas acreditem que essas características estejam intimamente ligadas. É preciso empregar uma dose de empatia para não somente falar, mas criar um canal de diálogo, em que a escuta ativa também mostra sua importância.

Na comunicação assertiva não há espaço para julgamentos infundados, imposições ou análises com objetivo de desqualificar ou diminuir alguém. Conflitos e tensões, comuns a pessoas agressivas, também passam longe da assertividade.

Por outro lado, a comunicação passiva se diferencia da assertiva pela forma de tomar decisões. Enquanto a primeira cede para evitar conflitos, a segunda mantém suas ideias e convicções –– não diz “sim” quando gostaria de negar alguma ajuda ou solicitação, por exemplo.

Exemplos de comunicação assertiva para líderes

Todo bom líder tem uma grande responsabilidade como parte de seu escopo de trabalho: a delegação de tarefas. Distribuir o que cada colaborador deve fazer é a parte simples desse processo. Difícil mesmo é saber como cobrar os profissionais, seja em termos de entrega, seja quanto à qualidade.

Um líder que adota a comunicação assertiva explica a importância de cumprir prazos e seguir as diretrizes do projeto para evitar refações e outros problemas. Ou seja, ele não coloca essas regras como se fossem benéficas somente para seu cargo, mas para o próprio colaborador também.

Nesse mesmo cenário, um líder assertivo conhece o perfil dos profissionais da equipe, bem como seus pontos fortes e fracos. Dessa maneira, consegue distribuir as tarefas de acordo com a expertise de cada um –– o que aumenta a produtividade de todos. Um gestor com comunicação agressiva, pelo contrário, exigiria a excelência em diversas áreas sem se preocupar com o colaborador.

Um último exemplo, mas talvez o mais emblemático, a comunicação assertiva para líderes é o tratamento com feedbacks. Dizer que o trabalho é horrível, diminuir o colaborador e colocá-lo como incapaz é algo totalmente contraprodutivo. Vale incentivar o aprendizado contínuo desse profissional e oferecer assistência no que for necessário.

Quais são as vantagens de ter uma comunicação assertiva?

Pense em seu papel como líder. Diferentemente de um chefe, responsável por dar ordens e cobrar resultados a todo instante, a ideia é direcionar os esforços de cada colaborador e organizar as entregas. O objetivo com isso é melhorar as entregas tanto para a empresa quanto para os clientes envolvidos (internos ou externos).

Quando um líder sabe se comunicar com sua equipe, não dá margem a erros ou interpretações equivocadas. Ele entende que cada um tem seus limites e consegue abraçar determinada quantidade de tarefas sem se sobrecarregar. Entre as primeiras vantagens da comunicação assertiva está a satisfação desses profissionais, que respeitam mais o superior.

Também podemos citar novamente o aumento da produtividade dos times, que se sentem mais seguros para tomar decisões em prol de melhores resultados. O alinhamento de expectativas é essencial para evitar frustrações de qualquer parte. Além disso, ainda é possível negociar condições e chegar a acordos benéficos para todos os envolvidos.

Como desenvolver uma comunicação assertiva?

Vimos até aqui que a comunicação assertiva é um dos diferenciais de equipes unidas e produtivas. Então, nada melhor do que investir nessa ideia para alcançar tais benefícios, certo? A partir de agora, confira alguns passos essenciais para uma atuação com assertividade.

Seja empático

A postura e imagem profissional de um líder assertivo depende muito da empatia. Com isso em mente, ele consegue colocar em prática os exemplos que mostramos neste conteúdo –– de dar feedbacks construtivos, negociar tendo em vista as expertises de cada talento e saber cobrar entregas sem agressividade.

Ouça com atenção

Como vimos, tão importante quanto saber falar é ouvir o que os colaboradores têm a dizer. Por não haver imposições e autoritarismo, vale considerar opiniões distintas nas tomadas de decisão –– até mesmo para reforçar as suas convicções, em alguns casos. Ser justo também faz parte de uma comunicação assertiva.

Tenha atenção à linguagem

A linguagem vai muito além da escolha das palavras. Ela envolve também o tom de voz utilizado e a postura corporal, em especial diante de diálogos presenciais. Todos esses aspectos devem ser observados de perto para dar mais clareza e objetividade a seus discursos.

Seja inteligente emocionalmente

A inteligência emocional também é uma das habilidades do futuro. Quando você trabalha as suas emoções nos diálogos, não passa uma impressão errada às pessoas, tem controle sobre a situação e não permite que ruídos interfiram nessa comunicação.

Busque conhecimento

Por fim, nada melhor para desenvolver a comunicação assertiva do que reforçando o seu repertório de conhecimentos. Existem excelentes cursos no mercado que oferecem uma nova visão e abordagens diferentes para você aprimorar sua fala. É possível aprender na prática como utilizar essas técnicas e aplicá-las em sua rotina profissional.

Não restam dúvidas de que a comunicação assertiva deve fazer parte do perfil de todo bom líder, certo? Agora que você conhece as principais formas de desenvolver essa habilidade, coloque como prioridade em sua trajetória profissional. Não só a sua carreira verá as vantagens desse investimento, mas a de seus liderados também.

Sabendo que um líder deve motivar seus colaboradores, que tal saber mais sobre a educação corporativa e como ela pode transformar os resultados de um negócio?

Mulheres inspiradoras: 8 mulheres que inspiram o público com suas apresentações!

Encontrar um lugar de destaque no mercado é uma das principais prioridades das pessoas. O caminho até essa conquista tem um importante mapa: o poder de persuasão aliado ao carisma. Vamos tomar as apresentações como exemplo. Consegue o sucesso quem cativa a atenção do público naturalmente, certo? E é isso que muitas mulheres inspiradoras têm feito.

Elas acreditam não somente em suas propostas, mas que suas palavras podem atravessar fronteiras e motivar ações. A importância de suas histórias se prova com o cenário mundial: mesmo que o mercado ainda não seja igualitário como deveria, ao menos há um crescente interesse das empresas em reconhecer o trabalho e contratar mais colaboradoras.

Se você deseja fazer boas apresentações, encontrou o lugar certo. Motive-se com os discursos de mulheres inspiradoras, que conquistaram com seu carisma!

1. Michelle Obama

Ela é esposa de Barack Obama, um dos políticos mais influentes deste século. Mas Michelle Obama transformou sua imagem e postura profissional para muito além disso. Bem depois de deixar seu cargo de ex-primeira-dama, ainda é lembrada por seus discursos –– tanto que recebeu por mais de uma vez o título de mulher mais admirada dos EUA.

Entre suas principais defesas, estão a de igualdade de gênero e de acesso ao estudo pela população feminina, principalmente as jovens. Michelle aproveitou os holofotes para inspirar novas gerações com sua história de vida e discursos. Seu livro Minha História vendeu mais de 10 milhões de cópias em menos de 5 meses.

2. Natalie Portman

A atriz também tem seu espaço entre as mulheres inspiradoras. Ela luta contra assédio sofrido pelo público feminino, assim como outras questões que envolvem a desigualdade de gênero no mercado de trabalho. E não se dirige somente a elas: também convoca os homens para que ajudem a mudar a realidade e dar mais voz às mulheres.

Em sua apresentação no evento Power of Women em 2018, Natalie questionou os homens sobre seu papel na sociedade. Seu convite é para que eles repensem determinadas abordagens que usam contra as mulheres. Já no Oscar de 2020, inspirou até mesmo sem se pronunciar: em seu vestido, homenageou diretoras que não tiverem o devido reconhecimento da Academia.

3. Malala Yousafza

A pessoa mais jovem a ganhar o Prêmio Nobel da Paz é uma mulher inspiradora. Malala Yousafza lutou desde muito jovem pelo seu direito de estudar, e chegou até ser baleada nesse processo, considerada uma ameaça contra o islã. Nem esse episódio, nem a cirurgia pela qual teve que passar a impediram de continuar.

Malala se formou pela Universidade de Oxford, em filosofia, política e economia. Mas ainda motiva outras mulheres a buscarem a educação. O seu discurso em Peshawar foi somente o primeiro. Depois disso, já fez sua apresentação para as Nações Unidas no que hoje é chamado Dia da Malala.

4. Emma Watson

A campanha HeForShe levou ao centro do debate questões de desigualdade, e Emma Watson está por trás dela. Desde que deu vida a uma das personagens mais queridas do cinema, Emma Watson já era uma mulher inspiradora. Isso não mudou com o tempo, tanto é que a atriz discursou até na ONU, convidando homens a se juntarem à luta feminina.

Emma falou sobre nos definirmos como quem somos, e que os homens podem se engajar para ajudar suas filhas, esposas, irmãs na busca pela igualdade. Também têm um importante papel na educação dos filhos, para que se permitam ser humanos e vulneráveis.

mulheres inspiradoras unidas com as mãos sobrepondo umas das outras

5. Djamila Ribeiro

A filósofa não poderia ficar de fora desta lista. Djamila Ribeiro é um dos principais nomes no empoderamento de mulheres negras no Brasil. Ela utiliza as redes sociais, tão comuns no cotidiano das novas gerações, para se posicionar e inspirar com suas ideias. Não importa o palco, a luta pela diversidade está sempre em seus discursos.

Djamila foi secretária-adjunta de Direitos Humanos e Cidadania em São Paulo e participou do Personalidades do Amanhã, um programa francês que reconhece pessoas de impacto na sociedade. Com um trabalho compartilhado em diversos países, escreveu dois best-sellers: Quem tem Medo do Feminismo Negro? e O que é Lugar de Fala?.

6. Luiza Trajano

Ela é mais uma das mulheres inspiradoras brasileiras –– e os motivos vão muito além do ótimo desempenho que sua rede de lojas, Magazine Luiza, conquistou no mercado. Ela se dedicou a incentivar o empreendedorismo no país e tem como lema:

“Primeiro faça o necessário, depois faça o possível e, de repente, você vai perceber que pode fazer o impossível”.

Em 2012, foi criado o grupo Mulheres do Brasil, que conta com mais de 50 personagens femininas de grande destaque no país. Luiza está à frente nessa luta por igualdade no mercado do país, levando seus ensinamentos sobre marketing e vendas para que outros negócios tenham sucesso.

7. Andrea Schwarz

Como vimos, o mercado está mudando aos poucos. As mulheres estão assumindo cargos de liderança e, com isso, inspirando novas transformações em busca da igualdade. Andrea Schwarz é CEO da Iigual inclusão e diversidade, que tem como objetivo levar mais inclusão para as organizações brasileiras. Sua empresa ajuda pessoas com deficiência e LGBTQIA+, sejam elas de qualquer idade, etnia, gênero ou condição social.

Já foram mais de 18 mil trabalhadores encaminhados às empresas. Em um artigo para o Estadão, contou sua história enquanto pessoa com deficiência e a forma como se reinventou até suas ações de empreendedorismo social. Andrea continua compartilhando suas ideias e ganhou o título de Top Voice do LinkedIn, mostrando sua relevância para a comunidade.

8. Gleidys Salvanha

A área de tecnologia já teve muitos homens em quem se inspirar. Ao mesmo tempo, pouco espaço era destinado a mulheres, ainda que em cargos operacionais. Essa realidade felizmente está mudando –– e Gleidys Salvanha é prova viva disso. Ela é diretora de negócios na sede brasileira de uma das empresas mais valiosas do mundo: o Google.

Ela já levou suas ideias inovadoras a diversos públicos, entre eles o Fórum ACIM Mulher e a palestra da UNIFEV. Representar o Google por si só é uma grande motivação para que jovens mulheres se desenvolvam rumo a cargos de liderança.

Listamos apenas algumas das mulheres inspiradoras, mas elas estão por todos os lados. Provam que é possível aprender e ensinar, desde que haja autoconfiança. Seja para conquistar a admiração de seus colegas de trabalho, seja para fazer boas apresentações, a comunicação é essencial. Então, motive-se e seja inspiração você também.

O primeiro passo é buscar conhecimento constantemente, assim como as mulheres inspiradoras também fazem. Então, siga a leitura para saber como melhorar a comunicação interpessoal e invista nessa competência!

O poder da Programação Neurolinguística (PNL) na comunicação persuasiva

Com a Programação Neurolinguística é possível estimular a mente a organizar as ideias e ações de modo que a comunicação persuasiva alcance os objetivos propostos.

Sou Eduardo Adas, formado em Engenharia da Produção aos 23 anos, com 15 anos de atuação como consultor de empresas e como sócio-fundador da SOAP, acredito que o comportamento do outro é o resultado da sua comunicação. Você deve estar se perguntando como migrei para o ramo da comunicação corporativa?

A superação das dificuldades de comunicação devido à gagueira da adolescência, me fizeram entender a importância de desenvolver uma boa comunicação. 

Foi por meio da PNL que eu percebi o quanto o autoconhecimento e a empatia podem melhorar a capacidade de comunicação para transmitir uma mensagem confiável e valiosa ao público-alvo. Continue comigo e saiba como funciona essa abordagem!

O que é a PNL?

A Programação Neurolinguística é a técnica ou método que permite uma melhor compreensão do funcionamento interno, ou seja, dos modelos mentais que permitem questionamentos, reflexão e ressignificação da mensagem que será transmitida a partir desse processo.

Criada nos Estados Unidos, a PNL foi introduzida no Brasil, em 1981, pelo especialista Gilberto Cury, presidente da Sociedade Brasileira de Programação Neurolinguística, considerada o maior centro de excelência em PNL da América Latina e que, por generosidade do destino, é um membro da minha família.

Foi com ele que aprendi que a Programação Neurolinguística defende que a formulação das crenças e dos modelos mentais que influenciam o nosso comportamento é resultante das histórias, experiências, valores e vivências colecionadas ao longo da vida,  mas que pode ser reprogramada.

Isso quer dizer que, utilizando as técnicas e ferramentas disponíveis na PNL, é possível rever a estrutura interna, desconstruindo e reconstruindo conceitos para alcançar os resultados esperados, o que está diretamente ligado à comunicação.

Dentro da comunicação verbal e não verbal, a PNL trabalha o autoconhecimento, as crenças limitantes e o comportamento, para ressignificar o processo de comunicação nas duas principais frentes — a comunicação interpessoal e intrapessoal.

Como a PNL pode ser útil para profissionais e organizações?

Nas empresas, a arte de se comunicar bem pode ser o trunfo para transformar uma ideia em uma grande oportunidade de negócios. Do contrário, um grande projeto, pode não sair do planejamento, pela dificuldade de vender a ideia na hora da apresentação.

A comunicação não é apenas o que as pessoas falam, mas o que elas transmitem, por isso a PNL é essencial, para desenvolver também as potencialidades da comunicação não verbal, por meio de gestos e olhares.

Para isso, é fundamental trabalhar aspectos que envolvem, de um lado, quem pretende desenvolver e aprimorar uma comunicação clara, objetiva e convincente e, do outro, aqueles que receberão a mensagem.

Veja alguns desses aspectos e como a Programação Neurolinguística atua em benefícios de uma comunicação voltada para resultados!

Necessidade de trabalhar o autoconhecimento

O investimento no autoconhecimento estimula o desenvolvimento do domínio emocional e do estado de excelência para promoção da autoconfiança, o que leva a uma auto comunicação positiva e segura.

Quanto mais você se conhece e às suas limitações, mais você trabalha suas emoções, interferindo, consequentemente, na comunicação interpessoal, ou seja, na forma como você interage com o outro, utilizando sinais conscientes e instintivos.

Importância de conhecer o perfil do público

Cada pessoa tem um comportamento único e individualizado diante da interpretação de uma realidade. A forma como a comunicação alcança o público depende da sua forma de transmissão da ideia, baseado em seus mapas internos e como essa comunicação chega até o outro.

É nesse contexto que a PNL acontece e que relaciona todos os sentidos, para adequar a linguagem e a comunicação à sua audiência e dizer o que as pessoas esperam ouvir, com autoridade, relevância e autenticidade.

É fundamental entender e respeitar o modelo mental daqueles com quem você deseja interagir para obter resultados efetivos. A escuta ativa é crucial para que o mapeamento do outro consiga revelar características que viabilizem a comunicação e o alcance.

Desenvolvimento da empatia

A empatia é a capacidade de se colocar na posição do outro, sendo um desafio difícil, pois o exercício predominante é de olhar para si mesmo sob o ponto de vista do outro e não com as suas próprias crenças, vivências e experiências.

Ao se comunicar com o outro, é preciso destituir as ideias do conceito pessoal, para compreender as necessidades e expectativas do outro, para estabelecer uma comunicação que faça sentido para quem está do outro lado.

Quais são as técnicas utilizadas na prática da PNL?

Os impactos da prática da PNL podem ser percebidos em algumas técnicas racionais de comunicação utilizadas na apresentação de projetos e ideias!

Storytelling

A comunicação persuasiva requer a verdade, pois a manipulação pode alcançar um sucesso pontual, mas não se sustenta por muito tempo. No storytelling, a PNL é usada para adaptar o que o outro deseja receber aos seus objetivos, utilizando metáforas para exemplificar situações.

Rapport

O objetivo dessa técnica é alcançar a efetividade na comunicação, em que a linguagem e os gestos se assemelham para estimular uma interação empática e confiável dentro do grupo entre as pessoas envolvidas.

Ancoragem

Os gatilhos mentais, sejam visuais, auditivos ou cinestésicos estão presentes na vida de cada um de nós, desde a infância e podem ser usados como técnica de ancoragem — em algum momento você pode se valer de um elemento importante que ajude a desenvolver ou estimular pontos que validem a confiabilidade da comunicação.

Modelagem

Na modelagem a técnica empregada utiliza-se da influência dos modelos comportamentais e ações positivas de pessoas inspiradoras para sustentar a comunicação em uma apresentação importante.

Quais resultados a aplicação da PNL pode oferecer à sua empresa?

Uma boa apresentação, no estado da arte, não está apenas na estratégia ou em um bom material, mas no ter uma ótima performance, que depende do autoconhecimento, de conhecer, compreender o outro e suas necessidades.  

Com isso, a PNL pode ajudar sua empresa a fazer a comunicação persuasiva, não como uma forma de manipulação, mas de convencimento levando em conta a empatia que se traduz no conhecimento das crenças, dos valores, emoções e limitações do outro.

A construção dos argumentos certos está atrelada à aplicação das técnicas de PNL de acordo com o projeto, ideia ou momento de interação com o público-alvo, alinhando seus objetivos às necessidades daqueles com quem você deseja estabelecer uma conexão, ao mesmo tempo, emocional e concisa.Você percebeu o poder da programação neurolinguística para a criação de uma comunicação efetiva com o público que pretende alcançar? Eu convido você a conhecer as soluções da SOAP e como trabalhamos a comunicação com foco nos resultados!

Curso
Use técnicas de persuasão e aumente seu poder de influência!

Em diversos momentos, nosso poder de convencimento é colocado em xeque, como em reuniões estratégicas, comunicados dirigidos aos colaboradores e campanhas para vender nossos produtos. Por isso, é natural buscar técnicas de persuasão que possam tornar nossa atuação mais eficiente. 

As técnicas não visam manipular ou prejudicar pessoas, mas mobilizar as partes em prol da satisfação de seus desejos e necessidades. Isso é o que levará um cliente a ter o seu problema resolvido ou um colaborador a perseguir os objetivos da equipe, por exemplo. 

Logo abaixo, explicamos o que são essas técnicas de persuasão e como elas aumentam nosso poder de influência. Continue a leitura e torne-se um gestor/líder ainda mais eficaz! 

A importância das técnicas de persuasão 

As técnicas de persuasão são modelos de comportamento que, uma vez aplicados, tornam nossa comunicação mais convincente ou influente. Portanto, aumentam as probabilidades de o interlocutor acreditar naquilo que transmitimos ou mobilizar-se para realizar a ação que desejamos

Na prática, você já deve ter visto algumas dessas técnicas em funcionamento, como: 

  • colocar um produto ou serviço em condição de escassez; 
  • oferecer algo em um primeiro momento e usar a reciprocidade como ferramenta; 
  • revestir o discurso de autoridade, como dados ou opinião de especialistas; 
  • firmar compromissos com o interlocutor e usar da necessidade coerência.  

No entanto, mais do que replicar ferramentas, é importante saber como se comunicar com mais eficiência. Empatia, assertividade, storytelling e oratória, por exemplo, são elementos com elevado poder de convencimento e influência sobre as pessoas.

Empatia 

A empatia é a capacidade de se colocar na perspectiva do outro, entendendo suas razões, desejos e necessidades. 

Assertividade 

Já a assertividade nos permite desenvolver diálogos claros e honestos no dia a dia, realizando uma comunicação consciente e capaz de atingir seus objetivos. 

Oratória 

Por sua vez, a oratória é o domínio da expressão verbal e não verbal para ganhar a atenção, convencer e influenciar pessoas.  

Storytelling 

Por fim, o storytelling é a aplicação das ferramentas de narração na comunicação, com objetivo de deixar o discurso mais envolvente e cativante, bem como gerar identificação

Essas soft skills terão um peso especial em algumas funções. Gestores, líderes, vendedores, profissionais de marketing e comunicação, por exemplo, veem a eficácia de suas ações bastante ligadas aos poderes de convencimento e influência. 

Benefícios e vantagens de aplicar as técnicas de persuasão 

O uso das técnicas de persuasão trará diversos benefícios nas relações da sua empresa com as partes interessadas no negócio: clientes, colaboradores, parceiros etc. Além disso, será de grande utilidade nos processos organizacionais e na gestão de pessoas.  

Gerar engajamento 

Em primeiro lugar, as pessoas se sentirão mais motivadas e engajadas ao longo prazo se forem convencidas — e não forçadas — a fazer algo. É a diferença, por exemplo, de ser apenas um chefe e ser um verdadeiro líder

Satisfazer desejos e necessidades 

A seguir, usando da empatia para entender desejos e necessidades, conseguimos buscar soluções que alinhem os nossos interesses com os dos clientes, colaboradores e demais partes interessadas. Posteriormente, o poder de convencimento selará a relação de troca, permitindo a satisfação dessas demandas. 

Vender ideias, projetos, produtos e serviços 

As técnicas de persuasão também vão ajudar nas diversas situações de convencimento que surgem no contexto de uma empresa. São exemplos as reuniões estratégicas, busca por patrocínio da alta administração para projetos, apresentações profissionais, negociações com fornecedores, campanhas de marketing, entre outros. 

Melhorar os resultados 

As competências de comunicação também nos ajudam a melhorar os resultados dos processos organizacionais. Economizar recursos em negociações bem-feitas, aumentar as vendas, receber orçamento para um projeto que beneficie a empresa e outras entregas de valor são possíveis a partir do nosso poder de influência

Curso

O domínio das técnicas de persuasão 

Para fechar, fique atento a importância de estudar e treinar as técnicas de persuasão. Há um grande espaço de evolução no campo da comunicação, seja para quem tem um dom natural para se comunicar, seja para quem acha que não tem muito jeito. 

Como dito, as técnicas podem ser transformadas em modelos de comportamentos, e tais modelos podem ser aprendidos e aprimorados por qualquer indivíduo. Essa evolução faz toda a diferença em nossas carreiras, especialmente nas posições de liderança e gestão. 

Aqui na SOAP, ajudamos os profissionais a serem mais efetivos em suas capacidades de comunicação com consultoria, treinamento e produção de conteúdo. Recentemente, elaboramos um curso completo para gestores e líderes terem uma comunicação eficaz e persuasiva no contexto empresarial. 

Nele, você dominará o storytelling, empatia interpessoal, assertividade, oratória, inteligência emocional e diversas outras soft skills para potencializar o seu desempenho. 

Sendo assim, você terá uma jornada de aprendizado, com passos bem definidos, para desenvolver as técnicas de persuasão. Logo, pode aumentar o seu poder de convencimento e a sua capacidade de influenciar pessoas, bem como entregar mais valor para sua empresa.

Confira a página do curso Comunique-se para tirar dúvidas e fazer a sua inscrição

11 habilidades do futuro para você se tornar o profissional procurado pelo mercado

Os modelos de contratação profissional estão em constante processo de mudança, e vence a concorrência quem busca desenvolver as habilidades do futuro. Afinal, é preciso estar preparado para as transformações que ocorrerão em diferentes áreas, como Comunicação, Tecnologia, Computação, etc.

Portanto, pense a respeito da evolução de sua carreira nos últimos cinco anos e, agora, imagine o que pode mudar nos próximos cinco. Lembre-se de que suas habilidades dizem, aos empregadores, o que você pode fazer, como pode fazer e, até mesmo, quem você é. 

Afinal, seu perfil profissional vai além dos títulos acadêmicos, englobando também competências pessoais e interpessoais. Inclusive, você sabia que algumas habilidades, a exemplo da flexibilidade cognitiva e da inteligência emocional, foram eleitas pela Organização das Nações Unidas (ONU) como essenciais para a formação de um profissional do futuro? 

Apresentamos as skills que serão mais requeridas pelo mercado de trabalho. Estas são as 11 habilidades do futuro:

  1. comunicação;
  2. flexibilidade cognitiva;
  3. inteligência emocional;
  4. criatividade;
  5. capacidade de resolver problemas complexos;
  6. negociação;
  7. capacidade de ter bom julgamento e tomar decisões;
  8. liderança;
  9. gerenciamento de pessoas;
  10. pensamento crítico;
  11. empreendedorismo.

Essas habilidades, que se complementam e devem ser equilibradas para se ter um profissional completo, geralmente, são divididas em dois grupos: soft skills e hard skills. Você sabe diferenciá-las?

Quais são as diferenças entre soft skills e hard skills?

Você sabia que, segundo levantamento da Page Personnel realizado entre janeiro e agosto de 2018, 9 em cada 10 profissionais são contratados pelo perfil técnico (hard skill) e demitidos pelo comportamental (soft skill)? E os principais motivos são: conduta inapropriada ou inesperada.

O resultado foi obtido a partir de entrevistas realizadas com 1.400 executivos de RH de companhias dos setores de marketing, RH, vendas, varejo, TI, construção, propriedade, finanças e engenharia. 

Mas você sabe o que são as soft e as hard skills? Então, as soft skills são menos concretas e mais difíceis de serem quantificadas do que as hard skills, pois estão ligadas a seu temperamento, personalidade e qualidades, como ser confiável, organizado ou profissional.

As hard skills são habilidades profissionais que, de alguma maneira, podem ser mensuradas. Elas vêm de um conhecimento específico — uma combinação entre formação e treinamentos no trabalho — e, geralmente, estão ligadas aos aprendizados ou tecnologias específicas, adquiridos, mais comumente, por meio de graduação, mestrado ou cursos profissionalizantes.

E a boa notícia é que há cursos que podem ajudar você a desenvolver todas essas habilidades do futuro! O curso de inteligência emocional, por exemplo, permite que você se torne um profissional capaz de exercer uma influência positiva sobre si mesmo e sobre as pessoas com quem você convive diariamente.

Além disso, aprendizados desse modelo auxiliam os profissionais a lidar com mudanças, desafios e situações, como falar em público e solucionar conflitos no trabalho.

Quais são as habilidades do futuro mais importantes para um profissional?

Muitos profissionais são bem instruídos, mas não apresentam as habilidades necessárias para conseguir o emprego que desejam. Portanto, se você quer se destacar em sua área de atuação, precisa conhecer as 11 habilidades do futuro que se espera encontrar no perfil dos profissionais nos próximos anos!

profissionais dando as mãos, fazendo um acordo e exercendo as habilidades do futuro

1. Comunicação

A comunicação é uma das principais habilidades do futuro. Afinal, de nada adianta ser um profissional com muitas capacitações técnicas, se você não for capaz de se comunicar com eficácia e eloquência. Portanto, é fundamental transmitir suas ideias, seja oralmente ou por escrito.

E saiba que as empresas valorizam muito essa capacidade, principalmente, para quem é de áreas como vendas ou relacionamento com o cliente, por exemplo. Saber se comunicar bem é fundamental para ter sucesso nas tarefas desenvolvidas diariamente, seja ao lidar com líderes e colegas de trabalho, ao expor ideias ou apresentar projetos e relatórios.

2. Flexibilidade cognitiva

A adaptabilidade e flexibilidade cognitiva são duas habilidades muito importantes no campo profissional para os próximos cinco anos. Isso porque, para que os profissionais tenham sucesso no futuro, é necessário saber se adaptar facilmente e acompanhar as mudanças. 

Eles também precisam ter flexibilidade cognitiva, uma vez que precisam ser capazes de mudar seu pensamento na mesma velocidade em que novos problemas e situações surgem no ambiente profissional.

O mercado valoriza os profissionais que são capazes de olhar uma situação de vários ângulos e formular o melhor plano de ação.

3. Inteligência emocional

Ser capaz de entender os outros e a si mesmo, por meio da inteligência emocional, está entre as principais habilidades do futuro. Dessa forma, é possível estabelecer conexões com qualquer pessoa no ambiente de trabalho, o que é essencial em qualquer setor. 

Um profissional que é capaz de controlar suas respostas emocionais para tomar decisões racionais se destaca no mercado. Veja um exemplo: ocorre uma tensão entre você e seu chefe durante uma reunião por discordarem um do outro, e você age impulsivamente.

Isso não ocorreria, caso estivesse trabalhando a sua inteligência emocional. Afinal, você conseguiria se concentrar em agir da forma correta, ou seja, aguardando a finalização da reunião, para passar a ele um feedback construtivo.

4. Criatividade

A criatividade influencia a inovação. Por isso, as empresas gostam de colaboradores que se destacam por descobrir formas de desempenhar atividades diferenciadas, que ninguém mais se deu ao trabalho de pensar sobre o assunto.

As empresas e o mercado valorizam profissionais criativos e inventivos, porque a alta competitividade e o novo perfil dos consumidores exigem um profissional capaz de apresentar novidades e aperfeiçoar os processos. 

5. Capacidade de resolver problemas complexos

O profissional do futuro terá que apresentar a capacidade de resolver problemas, às vezes nunca vistos, que podem envolver outras áreas e a capacidade de lidar com pessoas. 

Portanto, quem demonstrar ter criatividade, pensamento estratégico e segurança para agir em momentos complicados pode se dar muito bem! Essa é a perfeita combinação entre inteligência emocional e cognitiva.

6. Negociação

Não importa em qual setor você trabalha, sempre é preciso negociar algo, certo? Mesmo sem reparar, isso faz parte da nossa vida. O profissional que domina essa habilidade pode convencer pessoas ao vender seus argumentos e ideias, além de saber negociar prazos e valores ou fechar novos trabalhos com clientes, de forma a beneficiar a empresa e o contratante.

As empresas buscam aqueles que saibam negociar em situações de conflito, para que haja um bom entendimento entre os funcionários e manutenção do bom clima organizacional. 

7. Capacidade de ter bom julgamento e tomar decisões 

Os profissionais do futuro deverão ter a capacidade de ler e interpretar informações, ter novos insights, tomar decisões baseadas em dados concretos, analisar números e agir estrategicamente.

O mercado deseja profissionais preparados que saibam lidar com a complexidade das situações e encontrar soluções alinhadas aos objetivos e propósitos do negócio.

8. Liderança

A liderança também está na lista de habilidades do futuro que serão essenciais para os profissionais se destacarem no mercado. É preciso saber que, além de liderar, um bom líder tem que ser capaz de trabalhar em equipe, distribuir tarefas, ser coordenado ou coordenar, compartilhar, interagir e se autoliderar.

O mercado exige pessoas mais autônomas, capazes de administrar seu próprio tempo e tomar frente das situações. 

9. Gerenciamento de pessoas

A gestão de pessoas está diretamente conectada à inteligência emocional, e essa é uma ferramenta de grande relevância para o profissional do futuro. Isso porque, quem é capacitado para gerenciar pessoas contribui com o aumento da produtividade, motiva as equipes e responde aos anseios dos colaboradores.

Quando suas necessidades são atendidas, os funcionários ficam mais entusiasmados a corresponder às demandas de produtividade e criatividade da empresa. Sendo assim, ambos os lados só tem a ganhar.

10. Pensamento crítico

Entre as habilidades do futuro exigidas pela maioria das empresas está o pensamento crítico — que é quando você exerce a capacidade de ver as situações de maneira crítica, isto é, deixando de lado as suas opiniões e crenças. Dessa forma, será possível encontrar soluções efetivas para problemas e projetos, por exemplo.

Quem investe nessa habilidade só tende a ganhar na carreira devido à sua grande influência no ambiente de trabalho, podendo se destacar profissionalmente. 

11. Empreendedorismo

As empresas estão procurando colaboradores que farão a diferença. Por isso, o profissional dos próximos anos deve ter um perfil diferenciado. Por exemplo, ele precisa ter atitudes com visão de futuro que possam dar início a mudanças e ideias. 

O mercado exige pessoas que sejam capazes de criar, buscar novas oportunidades e colocar novas soluções em prática. 

Todas essas habilidades do futuro podem ser desenvolvidas por meio de treinamentos e cursos, como técnicas de comunicação e oratória, gerenciamento das emoções e comunicação interpessoal corporativa, que farão diferença em sua carreira e poderão ajudar na disputa por uma vaga de trabalho. Um profissional que apresenta a combinação de soft e hard skills é uma peça fundamental para o crescimento de uma empresa.

Está pronto para o mercado? Acompanhe as nossas redes sociais para mais dicas como estas! Estamos no Instagram, Facebook e LinkedIn!

Descubra como fazer boas apresentações com estas 5 dicas

Você sabe como fazer boas apresentações? Então, vamos explicar! As apresentações são uma forma de comunicação para quem pretende mostrar o conteúdo de um determinado tema à frente de um público. 

Ao contrário de outras técnicas, como a escrita ou mesmo o audiovisual, a apresentação disponibiliza informações para um público sob a forma de discursos, ainda que, muitas vezes, seja acompanhada por recursos de multimídia.

Uma boa apresentação corporativa começa com a produção do conteúdo e técnicas de persuasão para impressionar seus clientes ou colaboradores. Afinal, você precisa prender o público, seja em uma reunião, seja em um treinamento, seja em um auditório. 

Não importa se a mensagem é atraente, você precisa tirá-la do campo das ideias e colocar na tela de uma forma simples. 

A seguir vamos apresentar 5 dicas de como fazer boas apresentações. Então, vamos começar?

1.Tenha uma estrutura fácil de seguir

O primeiro passo para entender como fazer boas apresentações e dominar essa arte, é simplificando. Algumas reuniões, por exemplo, podem ter um tema complexo. Dessa forma, fica difícil prender a atenção do público. 

Então, comece estruturando um cronograma de apresentações simples. Para isso, divida em pelo menos três seções simples o que você tem a dizer: 

  1. introdução – resumir o que você vai falar e mostrar porque ele é relevante;
  2. desenvolvimento – mostrar os fatos e os pontos principais;
  3. conclusão – retornar a ideia original e oferecer alguns tópicos importantes e como podem ser colocados em prática.

Procure manter sua apresentação com pelo menos 10 slides. Assim, você não cansa seu público e ele terá mais tempo para assimilar tudo que está sendo exposto na tela.

2. Menos é mais, limite a quantidade de textos nos slides

Quando seu slide tem muito texto, você força seu público a ficar apenas lendo e não em prestar atenção ao impacto emocional que a mensagem traz. Portanto, escolha suas palavras com cuidado, e siga a dica anterior (simplifique).

Há estudos que mostram que as informações menores são melhor assimiladas. Afinal, ninguém quer ficar lendo blocos de textos em apresentações, certo? 

3. Tenha um bom design

O design tem o poder de evidenciar ou acabar com sua apresentação. Então, para fazer boas apresentações, utilize cores que chamem a atenção para a sua mensagem e evite cores muito brilhantes e carregadas

Quanto às características do texto, procure utilizar o mesmo tamanho e a mesma fonte em tudo, assim você mantém sua mensagem na tela uniforme e coesa. Para incrementar, um mapa mental pode ajudar

4. Faça uma boa formatação

A falta de formatação e padronização pode afastar as pessoas, pois mostra que você não teve o cuidado e o carinho em fazer sua apresentação ou até mesmo que você não entende do assunto. Em vista disso, assegure que seu texto esteja alinhado e organizado.

Revise e revise várias vezes, uma apresentação, como qualquer outro conteúdo, não deve ter erros. Eles podem fazer você perder a confiabilidade e a autoridade que tem sobre o assunto. Por isso, revise o máximo possível, somente assim sua apresentação será perfeita.

Além disso, a falta de formatação e de uma linha de pensamento na sua apresentação podem passar uma imagem de falta de profissionalismo. Então, capriche. 

Curso

5. Ensaie a sua apresentação

Pratique para pegar o ritmo e anote os pontos que você deseja evidenciar. Faça em voz alta, assim você vai começar a desenvolver uma experiência com o seu material e vai perceber como algumas coisas funcionam bem, e outras nem tanto, que precisam ser melhor trabalhadas. Assim, também verá como estão as suas técnicas de oratória.

Também pode identificar quais conteúdos são essenciais e quais não são, e terá a oportunidade de delatar antes que seja tarde demais. Treine várias vezes, experimente pausas, gestos e linguagem corporal

E não se esqueça do tempo, que deve ser similar toda vez que você for ensaiar. Para isso, use um temporizador. Quando for fazer sua apresentação, você será compensado tendo um período maior para a interação com seu público e pode explicar melhor o conteúdo exposto.

Saber como fazer boas apresentações torna-se necessário para avaliar o próprio negócio e o perfil do público-alvo e assim, auxiliar com efetividade a empresa a alcançar melhores resultados, como:

  1. expandir o negócio;
  2. conquistar mais clientes e fornecedores;
  3. obter parcerias com outras empresas (sejam do mesmo ramo, sejam de outra especialidade);
  4. atrair investidores.

Para isso, conte com a SOAP, uma empresa especializada em apresentações profissionais que utiliza uma metodologia pioneira com a finalidade de assessorar empresas e executivos a alcançar um alto desempenho em apresentações corporativas. 

Quer saber mais? Então, conheça o curso Comunique-se e veja de perto os avanços que podemos proporcionar para o seu crescimento profissional! 

Apresentações corporativas de alto impacto? Conheça a SOAP

A SOAP é especialista na preparação dos clientes para apresentações corporativas incríveis, capazes de causar impacto e atingir o objetivo proposto. Se você deseja impactar o seu público e alcançar o sucesso, continue a leitura!

A SOAP nasceu em 2003 e desde então, auxilia empresas e executivos a terem uma alta performance em apresentações estratégicas e reuniões decisivas. Oferece suporte nos momentos mais desafiadores, sobretudo, na venda do seu produto ou serviço a um público específico.

O objetivo deste post é mostrar toda a experiência e trabalho da SOAP direcionados aos clientes físicos e jurídicos, além de suas soluções disponíveis. 

Continue lendo para conhecer exemplos de trabalhos realizados pela SOAP e quais são os principais clientes da empresa! 

SOAP: a sua mensagem com muito mais chance de sucesso

Na SOAP, acreditamos que todos têm potencial para se tornar um grande comunicador e que cada apresentação pode ser transformada em algo verdadeiramente excepcional. É dessa forma que prestamos todo o apoio a quem deseja brilhar diante de sua audiência.

Criamos uma metodologia pioneira que engloba um roteiro transformador das mensagens corporativas em verdadeiras histórias. Dentro dessa metodologia, oferecemos um suporte visual no estado da arte e preparamos você para dar um show.

Já somamos 15 mil apresentações corporativas para uma média de 2.200 empresas, no Brasil e em outros 26 países na América e Europa, com treinamento para mais de 30 mil pessoas — somente no Brasil, atendemos 65 das 100 maiores empresas do país na linha de negócios: Consultoria em Apresentações e Treinamento.

Ao final de cada atuação da SOAP, você e sua equipe estarão preparados para criar, dentro de casa, apresentações corporativas estratégicas e bem estruturadas. Como podem ver, não significa apenas “Apresentações no Estado da Arte”, mas “Você no Estado da Arte“.

Nossos serviços se baseiam em ensinar pessoas a criarem apresentações e vídeos institucionais, comerciais, de lançamento de produtos, treinamentos, integração, concorrência e para qualquer outra necessidade no campo pessoal ou profissional.

Exemplos de trabalhos já realizados pela SOAP

Para cada cliente, auxiliamos na criação de apresentações corporativas e campanhas únicas, que transmitem uma mensagem personalizada e direcionada. Veja alguns exemplos do nosso trabalho!

Ypê

A ideia é relacionar a evolução do consumidor que busca uma experiência única e diferenciada, com a expressividade individual representada pelo estilo das roupas. 

O objetivo é fortalecer a imagem de liderança da marca no mercado de amaciantes, apresentando a nova embalagem e a inovação da fragrância.

Assista ao vídeo:

Sbt

A apresentação chama a atenção para a diversão e informação para toda a família disponibilizada na grade de programação da segunda maior emissora do país. 

Mostra dados importantes como a presença na vida de 199 milhões de brasileiros telespectadores e 65 mil lares para provar o poder de construção de um diálogo direto e rico com sua audiência.

Assista ao vídeo:

P&G

Com a apresentação, a P&G mostra como o marketing digital pode se conectar com vários públicos e alcançar a audiência desejada para fortalecimento da marca. Com os Millennials, por exemplo, a comunicação digital por meio de Apps e redes sociais é fundamental.

Assista ao vídeo: https://youtu.be/gFb1Sxa81OE

Accor Hotels

Apresentação do programa de fidelidade e serviços: garantia de reserva, check in prioritário, upgrade de quarto e fast check out, tendo como base o relacionamento para viver experiências diferenciadas e não cair no esquecimento.

Assista ao vídeo:

Renault

Apresentação das novidades da Renault englobando a inovação, o potencial de mercado e as oportunidades. Apresentando os lançamentos de acordo com as necessidades do consumidor brasileiro, incluindo a robustez e o conforto da SUV, a conectividade e a versatilidade.

Assista ao vídeo:

Nossos clientes mais notórios

Como dissemos, 65 das 100 maiores empresas brasileiras estão conosco. Entre elas:

  • PepsiCo
  • McDonald’s
  • Deloitte
  • L’Oréal
  • Sanofi
  • Unilever
  • Heineken
  • Red Bull
  • Coca Cola
  • Nespresso
  • Nestlé
  • Siemens
  • Nissan
  • Santander
  • Alcon
  • Leroy Merlin
  • Banco Itaú
  • Carrefour
  • Accor Hotels
  • Renault
  • Sony
  • Globo.com
  • O Boticário
  • Raízen
  • ESPN

A SOAP pode ser útil para você ao prestar toda consultoria e mentoria em suas apresentações corporativas, seja para comunicação remota ou presencial. Estamos ao seu total dispor, cheios de ideias para construirmos juntos apresentações criativas e impecáveis.

Se você gostou deste post e deseja criar uma ou mais apresentações de alto impacto, se inscreva já em nosso curso “Comunique-se” e veja transformar suas ideias em verdadeiras obras de arte!

Curso
O que se aprende no curso Comunique-se da SOAP

O curso Comunique-se tem o objetivo de ajudar gestores e líderes a falar com diferentes públicos, convencer pessoas e motivar os colaboradores. São desafios que se apresentam para as pessoas em posição-chave, e quase ninguém nasce pronto para enfrentá-los, não é mesmo?

Assim como damos grande peso às competências técnicas, com boas faculdades e cursos de qualificação, precisamos desenvolver as soft skills. E, na prática, elas estão muito longe de serem um dom ou algo para poucos. Com estudo e orientação, todo profissional pode evoluir suas competências na área.

Neste conteúdo, apresentamos a solução completa da SOAP para lidar com esse desafio e melhorar ainda mais o seu desempenho como gestor e líder. Continue a leitura e conheça o curso Comunique-se!

A importância do curso de comunicação para líderes e gestores

Você já deve ter percebido que as posições de gestão e liderança acentuam as dificuldades de comunicação. Afinal de contas, nosso desempenho depende muito mais do trabalho dos outros do que antes— de como vamos instruir, motivar e gerir pessoas.

Também nascem diversos contextos de comunicação voltados para o convencimento. Obter o patrocínio para um projeto, apresentar os resultados da equipe, argumentar em uma reunião, participar de uma negociação são exemplos importantes.

Aquele profissional que, em uma função de execução ou técnica, podia se preocupar mais com as hard skills, agora precisa desenvolver suas habilidades de comunicação. A liderança exige muito mais do que os conhecimentos de Administração, Contabilidade, Finanças, Direito, Marketing etc.

Imagine, por exemplo, a posição de um engenheiro que, após excelentes resultados, passa a liderar a equipe. O profissional que, até então, se destacava pelas competências técnicas precisa resolver conflitos, orientar a execução de tarefas, reporta-se para os diretores, negociar com fornecedores e uma série de outras atividades. 

O curso de comunicação é um programa para eliminar esses gaps de competência que atormentam a vida de líderes e gestores. Assim, você pode potencializar o conhecimento e as habilidades técnicas com competências comportamentais, especialmente para lidar com os desafios e contextos de comunicação das posições-chave de uma empresa.

Os módulos do Curso Comunique-se

O curso de comunicação da SOAP foi desenhado para que você desenvolva competências adaptáveis aos diferentes contextos e desafios. Isto é, você aprenderá as ferramentas e pode usá-las de acordo com o problema que se apresenta: se é uma situação de convencimento, um feedback para colaborador, uma palestra etc.

Narrativa e Storytelling

O primeiro módulo aborda a aplicação das técnicas de narrativa à comunicação. As ferramentas de storytelling contribuem para apresentações criativas, envolventes e impactantes, que podem ser usadas em diversos contextos de comunicação empresarial. 

Os exemplos de aplicação do storytelling nas apresentações em empresas são os mais diversos:

  • demonstrar o funcionamento de produtos, serviços e métodos de trabalho;
  • transmitir conhecimentos em cursos, painéis, palestras, webinares, workshops etc.;
  • envolver a audiência em uma situação de convencimento e persuasão;
  • realizar campanhas de marketing;
  • explicar a jornada do colaborador, do candidato, do cliente e de outras interações com a empresa.

No curso, você aprenderá os elementos que compõem as boas histórias e como integrá-los em uma apresentação que faça sentido. Não se trata de aprender para escrever um conto ou um romance, mas de usar o storytelling para superar os desafios da sua atividade profissional.

Linguagem visual

No segundo módulo, é hora de expandir as formas pelas quais você exibe uma ideia. Trata-se de ir muito além do Powerpoint, utilizando recursos visuais que potencializam o impacto e o envolvimento dos ouvintes. 

Entre os tópicos, você aprenderá como criar uma identidade visual que se integre organicamente à apresentação: padrões, cores, formas, fontes, templates etc. Também estudará sobre criatividade, diagramação e animações. 

Oratória

O passo seguinte é o domínio das técnicas de oratória, com foco em conquistar a atenção e engajar os ouvintes. O módulo trabalha a linguagem verbal e não verbal, postura, pausas, confiança e outros elementos que compõem uma boa apresentação.

Performance com material

Continuando sua jornada, você realizará uma apresentação com os conhecimentos adquiridos até então. O objetivo desse módulo é ser uma atividade prática, com feedbacks e orientação sobre as melhorias necessárias, bem como buscar a integração entre oratória, linguagem visual e storytelling.

Inteligência Emocional 

Já o módulo de inteligência emocional trabalha a capacidade de identificar as próprias emoções e desenvolver estratégias para gerenciá-las. Afinal, não dá para ignorar o impacto do lado emocional no desempenho das apresentações, especialmente em situações de pressão.

Empatia 

A seguir, desenvolvemos nossa capacidade de entender os desejos e necessidades do outro, olhando as situações a partir dos olhos dele. A empatia ajudará não apenas na convivência no ambiente de trabalho, mas na adaptação da comunicação aos diferentes perfis e contextos.

Assertividade

No módulo sobre assertividade, melhoramos elementos do diálogo, como transparência, honestidade, respeito etc., que ajudam a alcançar os objetivos da comunicação. Geralmente, a comunicação busca algum tipo de ação, como mudanças de postura, cumprimento de tarefas, motivação do colaborador e entendimento de informações. Logo, a assertividade é fundamental para gerar o resultado esperado.

Elevator Pitch

Para fechar os módulos essenciais, você será apresentado a uma atividade prática, que reúne todas as habilidades abordadas até aqui. O elevator pitch é uma apresentação rápida, que requer empatia, assertividade e inteligência emocional, geralmente voltada para o convencimento. Nela, você terá um feedback completo para continuar o seu desenvolvimento.

Plano de ação

Como o objetivo do curso é desenvolver habilidades práticas, existe um módulo bônus em que montaremos um plano de ação para continuar o treinamento depois da formação. Assim, você pode melhorar até o nível de competência inconsciente. Explica-se.

Sempre que tentamos aprender uma competência, iniciamos pela incompetência inconsciente. Afinal, não sabemos o que é preciso aprender, tampouco onde estamos certos ou errados ao desempenhar uma atividade.

Depois, com o início dos estudos e orientações, chegamos à incompetência consciente. Já sabemos nossos pontos fracos e o que precisa ser feito, mas ainda não desenvolvemos as habilidades. 

Logo após, chegamos no estágio em que conseguimos fazer algo: a competência consciente. No entanto, precisamos observar e orientar o próprio comportamento a todo momento, como acontece nas primeiras vezes em que conseguimos dirigir ou andar de bicicleta.

Por fim, atingimos o estágio mais elevado, em que os comportamentos estão automatizados, ou seja, a competência inconsciente. 

Daí que o papel do plano de ação é permitir a continuidade do treinamento para você usar o que aprendeu e, com a repetição, automatizar as habilidades de comunicação.

Curso

 

 

Os Especialistas

Os facilitadores do curso Comunique-se da SOAP são profissionais de mercado, especialistas em diferentes áreas da comunicação. A equipe é formada por: 

Ao todo, você terá 12 horas de conteúdo. Além das 8 horas destinadas aos módulos do curso, existem as aulas ao vivo de introdução, fechamento e plantão de dúvidas, bem como a elaboração do plano de ação.

Todas as atividades acontecem online e são disponibilizadas semanalmente. Assim, a cada 7 dias, você pode focar em uma competência essencial para comunicação, vendo e revendo os conteúdos para desenvolvê-la no seu ritmo.

Os diferenciais do curso Comunique-se 

O curso de comunicação tem diferenciais em relação a outras formações, principalmente pelo excelente aproveitamento da carga horária do curso com diferentes atividades. Confira os principais!

Jornada de desenvolvimento

A estrutura segue o caminho lógico para você passar por todos os estágios de desenvolvimento de competências. Os módulos trazem as orientações e conhecimento necessário, e, ao final do curso, o plano de ação possibilita o treinamento até o domínio completo das habilidades.

Microlearning

O microlearning é outro diferencial. Nele, os módulos são estruturados em pílulas para que você consiga identificar os pontos de desenvolvimento e treiná-los até se tornarem competências. Logo, é mais fácil definir prioridades e dar ênfase a parte do conteúdo que trouxer mais dificuldades.

Aliar teoria e prática

O curso vai muito além do básico, aliando teoria e prática. Durante a formação, você terá momentos para realizar apresentações, coletar feedbacks, tirar dúvidas e, ao final, um plano de ação para continuar a evolução durante a sua carreira.

Assim, você realmente vai aplicar as habilidades de comunicação no contexto profissional. Não adiantaria ter uma parte teórica aprofundada sem se preocupar com a prática, pois o foco não é passar em uma prova, mas ser capaz de incorporar novos comportamentos.

Vale ressaltar que a SOAP auxilia executivos, gestores e líderes a desenvolverem competências comportamentais há quase duas décadas. E o curso Comunique-se é fruto dos conhecimentos e experiências acumulados ao longo dos anos.

Nossa atuação inclui treinamentos, consultorias e produção de conteúdo voltado para apresentações profissionais e comunicação no meio profissional.

Sendo assim, o curso Comunique-se traz todo o suporte de que você necessita para ser um profissional mais confiante, ter inteligência emocional e, é claro, lidar com os diferentes contextos de comunicação nas empresas. Logo, você estará preparado para os desafios das funções de liderança e gestão.

Conheça o curso agora mesmo e faça a sua inscrição!

Veja como adquirir uma boa postura e imagem profissional

Certamente, a capacitação técnica é um fator determinante para avaliar a qualidade de um profissional. No entanto, o mercado exige outro talento: postura e imagem profissional. O comportamento dos profissionais, é tão avaliado quanto seu conhecimento técnico, porque eles podem manchar ou valorizar a imagem de uma empresa. 

Mesmo que o profissional seja a última cereja do bolo ou um gênio da tecnologia para resolver as demandas da sua rotina de trabalho, se ele não apresentar um comportamento compatível com as missões da empresa, mais cedo ou mais tarde seus serviços serão dispensados.

Elaboramos este artigo para falar de postura e imagem profissional, para esclarecer o quê, realmente, quer dizer esse termo, qual sua importância e dar dicas de como melhorar essa habilidade tanto para você quanto para o desenvolvimento de estratégias para ajudar outros colaboradores da empresa. 

Confira o conteúdo até o final e boa leitura!  

Afinal, o que é postura e imagem profissional?

A postura profissional vai além de entender sobre a sua área e de ter educação, já que esses são critérios mínimos, e praticamente obrigatórios, de qualquer colaborador. 

No ambiente corporativo, essas atitudes são fundamentais para a carreira do trabalhador e para a imagem da empresa diante da sociedade. A postura e imagem profissional é um conjunto de habilidades comportamentais e de apresentação pessoal.

Veja agora o que podemos considerar como habilidades de postura e imagem profissional:

  • pontualidade;
  • ética;
  • empatia;
  • bom senso;
  • honestidade;
  • cordialidade;
  • apresentação pessoal como linguajar, asseio, vestimenta adequada entre outros.

Essas qualidades e atitudes não devem parar por aí, qualquer atitude que venha a ser considerada como uma virtude pode se juntar à nossa lista de boa postura e imagem pessoal.

Porque a postura e imagem profissional são importantes?

Atualmente, estamos na era da comunicação digital, daí já podemos imaginar que qualquer atitude que não seja condizente com atividades profissionais tanto de um colaborador, independentemente do seu cargo quanto da empresa, em poucos segundos se espalha por todo o mundo. 

Uma má notícia espalhada pelas redes sociais nos dias de hoje é capaz de destruir a reputação conquistada por um profissional ou por uma empresa com um simples toque na tela de um celular. 

Por esse motivo e por várias outras situações imagináveis, a postura e a imagem dos profissionais são tão importantes. Sendo assim, a busca das boas práticas de ética no ambiente corporativo são fundamentais para as carreiras e para os negócios de qualquer tipo de instituição, seja pública, seja privada.

Como melhorar a postura e imagem profissional?

A boa notícia é que a postura e a imagem profissional, podem ser trabalhadas e melhoradas no dia a dia. Veja algumas dicas que preparamos para você.

Estabeleça um código de postura e imagem profissional

O ideal é que seja criado um código de postura. Para isso, uma lista com as atitudes mínimas para conquista de uma boa postura e imagem profissional, como se fossem algumas regras básicas, ajuda muito. 

Isso deve ser feito porque algumas pessoas podem encontrar dificuldade em entender o significado de postura e imagem profissional. Não esqueça de enfatizar neste código a missão da empresa e a cultura organizacional

Mostre a importância da boa postura e imagem profissional

Para evitar causar a impressão de imposição de atitudes comportamentais para os profissionais, demonstre porque essas ações podem ser vantajosas para as suas carreiras e manutenção dos seus empregos.

Busque ajuda de profissionais

O fato de você ser um profissional da área de recursos humanos, não o obriga a desenvolver o trabalho de conscientização da empresa sozinho. Toda a liderança e a gestão da organização precisa estar alinhada aos mesmos objetivos. Treinamentos constantes também são grandes diferenciais. 

Use a tecnologia

Como já dissemos, estamos na era digital e a tecnologia pode ser usada a nosso favor. Por meio dela, você pode executar diversas ações para melhorar a sua própria postura e imagem quanto da empresa, como fazer reuniões online, enviar dicas pelos aplicativos de mensagens, entre outros.

Verifique os resultados

Quando colocar as principais dicas de boa postura e imagem, acompanhe os resultados fazendo comparativos com períodos anteriores. Assim, você saberá quais são os frutos que está colhendo e onde pode melhorar suas ações.

Portanto, podemos considerar que a boa postura e imagem profissional são imprescindíveis para os profissionais e para as empresas. Praticar as virtudes da boa convivência, certamente, o ajudará a atingir o sucesso profissional em menos tempo. Não perca tempo, não deixe para iniciar o seu processo de melhoria amanhã, comece hoje e boa sorte!

O curso Comunique-se aborda um conteúdo programático que o mostrará técnicas para melhorar a sua comunicação e, consequentemente, a sua postura e imagem profissional. Acesse e conheça mais para se destacar no mercado! 

 

Curso
Saiba como ter autoconfiança para falar em público: Saiba como ter autoconfiança para falar em público

Ter autoconfiança é enxergar as potencialidades, mesmo quando surgem dificuldades ou desafios complexos no ambiente de trabalho. É transmitir segurança e exemplo aos liderados.

Mesmo com experiência e conhecimento, muitos profissionais não sabem como ter autoconfiança para falar em público quando precisam se apresentar diante de um número maior de pessoas e transmitir uma mensagem correta.

A boa notícia é que existem técnicas para ajudar a melhorar a dificuldade de se comunicar com desenvoltura diante de um público. A autoconfiança é importante e pode ajudar nos processos de gestão e liderança.

Neste post vamos falar sobre a importância de ser autoconfiante para falar publicamente e trazer dicas de como desenvolver essa característica no dia a dia. Continue lendo e veja como a SOAP pode ajudar nesse contexto!

A importância da autoconfiança no trabalho

No trabalho, diariamente surgem problemas e desafios a serem resolvidos e superados. Além do conhecimento técnico, em muitos casos, gestores e líderes precisam da autoconfiança, para transmitir segurança às suas equipes.

Acontece que, enquanto muitos conseguem ser claros e objetivos ao falar em público, outros têm dificuldades de se expressar e dizer o que desejam dos funcionários. Por isso, ser autoconfiante é um dos princípios básicos da personalidade de quem deseja ter sucesso como líder.

Invariavelmente, as pessoas esperam que a liderança diga o que precisa ser feito, para só então dar início às suas atividades. A autoconfiança é uma habilidade que você precisa desenvolver para passar credibilidade em seus discursos.

Um dos primeiros aspectos de fortalecimento da autoconfiança é acreditar em suas capacidades, ou seja, identificar seus pontos fortes e valorizá-los. Contudo, os pontos fracos devem também ser alvo de superação diária, sem perder tempo com pensamentos negativos.

A autoconfiança requer uma postura otimista diante da vida e dos desafios. A pessoa autoconfiante não mede esforços para ver resultados e se empenha para vencer obstáculos, além de servir de inspiração para os outros.

Dicas de como trabalhar a autoconfiança no dia a dia

Sabemos que ter autoconfiança não se trata apenas de virar uma chave e no dia seguinte ser a pessoa mais segura do planeta. Por isso, trouxemos algumas dicas que podem ajudar você a criar em si uma postura de firmeza e convicção todos os dias da jornada de trabalho.

Cerque-se de pessoas positivas

As pessoas positivas estão sempre de bom humor e preferem enxergar o copo meio cheio. Acreditam que há solução para os piores problemas e que para superar desafios é importante contar com a diversidade de competências e habilidades.

Esteja perto dessas pessoas pois, certamente, são referências importantes de como ter autoconfiança e conseguir falar em público sem se sentir desconfortável. No ambiente profissional, quanto mais saudável for o grupo nesse sentido, mais fácil será trabalhar a autoconfiança.

Supere seus medos

Muito das dificuldades para desenvolver a autoconfiança se origina de padrões e conceitos adquiridos no ambiente social ou familiar, seja na educação recebida em casa, seja nos ensinamentos das escolas.

Acontece que as mudanças surgem ao longo da vida sendo preciso se adaptar e superar os medos que impedem você de ser uma pessoa autoconfiante. Encarar as pessoas e ser o centro da audiência pode até gerar receio, mas se você estiver seguro da sua capacidade, continue compartilhando suas ideias.

Aos poucos o temor dará lugar à uma palestra agradável, diante de um público interessado no que você tem a dizer. Deixe fluir tudo o que você sabe, colocando de lado os possíveis julgamentos, pois eles podem nem mesmo existir.

Mantenha a autoestima elevada

A autoestima é um sentimento ou dom que somente você poderá desenvolver. Ela não tem a ver com a imagem externa, mas tudo o que você traz internamente e deseja que as pessoas vejam e admirem.

A autoconfiança está diretamente ligada à autoestima elevada. Uma depende da outra nascendo, sobretudo, da auto valorização, auto aceitação e descoberta do amor por si mesmo — nesse aspecto, fazer as coisas que gosta vai ajudar a encontrar algo de positivo naquilo que não é de muito interesse.

Desenvolva a inteligência emocional

No trabalho, a inteligência emocional é o ato de equilibrar as emoções, priorizando um ambiente harmonioso e relacionamento saudável entre as equipes. As pessoas têm objetivos e personalidades diferentes, logo, é preciso agir de forma inteligente para que, no dia a dia, os acontecimentos não se transformem em grandes problemas.

Quem está na posição de liderança tem a missão de disseminar, por meio das palavras, mensagens que estimulem pensamentos motivacionais. Sendo assim, quanto mais autoconfiança você tiver, mais as pessoas vão sentir o desejo de seguir os seus passos.

Permita-se vivenciar um dia ruim, desde que a recuperação seja rápida e focada no lado bom de cada situação. As pessoas são falhas, mas nem por isso precisam perder muito tempo lamentando o erro.

Trabalhar a autoconfiança é tão importante quanto desenvolver habilidades técnicas e adquirir conhecimentos. A SOAP pode ajudar você nesse desafio, pois em nosso curso “Comunique-se” ajudamos líderes e pessoas com necessidade de uma boa comunicação interpessoal a aprender como desenvolver a autoconfiança para falar em público.

Se este post foi interessante para você que está em busca da autoconfiança para ser uma voz potente dentro da sua empresa, que tal conhecer o curso Comunique-se e ver como ele pode ajudar você a alcançar esse objetivo?

Curso
Como fazer uma gestão de conflitos em 5 passos

Para manter o ambiente de trabalho sempre agradável e ter um time unido e alinhado com os objetivos da empresa é preciso habilidade na gestão de conflitos.

 

Uma gestão de conflitos eficiente requer das lideranças um posicionamento firme, mas conciliador para mediar as possíveis diferenças entre os membros de um time. Um clima organizacional ruim pode comprometer os resultados de uma empresa.

 

Ter uma equipe unida e integrada é primordial para que as estratégias e ações das empresas sejam bem aplicadas. Gerir bem as pessoas e cuidar para que elas se sintam bem no trabalho é tão ou mais importante do que gerenciar processos.

 

O objetivo deste post é mostrar os benefícios de manter o ambiente de trabalho com uma equipe saudável e positiva. Siga os 5 passos que trouxemos para garantir o bom relacionamento do seu time e minimizar os conflitos improdutivos na sua empresa!

 

Benefícios de uma equipe saudável e sem conflitos

Se você deseja ter uma empresa de alta performance e diferenciada no mercado, precisa cuidar das suas pessoas e de seu bem-estar dentro do ambiente de trabalho. Sem isso será impossível formar um time saudável e produtivo.

 

Os conflitos prejudicam os relacionamentos e quando não resolvidos alimentam problemas que, de simples, podem se transformar em grandes transtornos. Solucionar qualquer discussão ou atrito e não deixar pendências é a melhor forma de preservar a boa energia do ambiente.

 

Colaboradores satisfeitos estão sempre bem dispostos e disponíveis para trabalhar com outros colegas. Esse ambiente favorável é fruto de questões bem resolvidas, comunicação eficiente dentro da organização e atenção às necessidades e expectativas dos funcionários.

 

Alguns benefícios são mais evidentes:

 

  • ambiente agradável e renovado;
  • alinhamento no trabalho em equipe;
  • melhora no desenvolvimento pessoal dos profissionais;
  • maior engajamento e motivação.

 

5 passos para desenvolver uma gestão de conflitos eficiente

Em um ambiente diverso, onde trabalham pessoas com diferentes perfis, habilidades, competências, comportamentos e personalidade, certamente haverá divergências. O problema é quando se tornam conflitos irremediáveis, que afetam os resultados, os relacionamentos e a saúde do ambiente.

 

Com uma boa gestão de conflitos é possível minimizar os efeitos de uma discussão ou até mesmo eliminar o foco de geradores de atritos constantes. 

 

1. Identifique as causas dos conflitos

 

No primeiro momento em que você perceber que algo não vai bem com a sua equipe e que o relacionamento está abalado, não tome por base as motivações superficiais. Investigue a fundo para identificar uma causa ou mais de um conflito.

 

Avalie o comportamento dos profissionais envolvidos e saiba a origem das discussões para intervir de forma adequada, apurando os fatos, sem potencializar a razão de um lado ou de outro – ouça seus colaboradores.

 

2. Estabeleça um prazo para a resolução

 

Se você identificar que há um conflito e que ele está prejudicando o bom andamento das atividades e conexão entre as pessoas, determine o prazo para sua resolução — não dê a ele maior importância do que as metas da empresa, por exemplo.

 

Colocar o conflito em pauta e propor soluções mais rápidas é uma forma de dizer que a empresa se preocupa com a relevância do problema, mas que ele não deve ocupar um período muito longo, no tempo das pessoas.

 

3. Facilite a comunicação no ambiente de trabalho

 

Quem não se comunica terá dificuldades de expressar expectativas e desejos. Isso vale para empresas, gestores e colaboradores. Uma comunicação transparente e objetiva pode evitar os conflitos baseados no achismo.

 

A comunicação facilitada oferece elementos e condições para que as pessoas falem o que sentem, eliminando os ruídos e mal-entendidos que tantas vezes geram conflitos e dificuldades nos relacionamentos.

 

4. Realize pesquisas de clima organizacional

 

Esse tipo de pesquisa coleta dados relevantes e gera informações preciosas sobre como as pessoas percebem o ambiente. É primordial conhecer o clima da sua empresa e identificar pontos falhos na comunicação, na gestão, no relacionamento e na empresa como um todo.

 

Avalie as circunstâncias que levam a um clima organizacional bom ou ruim e o quanto os conflitos colaboram para um contexto negativo. Com os resultados confiáveis será mais fácil tomar decisões e gerenciar melhor os conflitos.

 

5. Implemente a cultura do feedback

 

Nada melhor do que um diálogo bem construído e pautado em melhorias. Assim é o feedback que dá a oportunidade de gestores serem verdadeiros com seus liderados no retorno sobre seu desempenho e propor ações diretivas para melhoria contínua.

 

Da mesma forma, os colaboradores, também devem fornecer feedbacks para seus liderados sobre as dificuldades de oferecer uma boa performance, quais situações ou aspectos interferem em seu desenvolvimento e, principalmente, como o líder poderia ajudá-lo.

 

Para conduzir esses passos e ter êxito na gestão de conflitos é importante que você tenha firmeza ao abordar as pessoas envolvidas neles. Nesse contexto, a SOAP pode ajudar pois, como especialista, oferece todo o suporte a líderes e gestores para alcançarem a excelência na hora de se comunicar.

 

Se você gostou deste post e deseja resolver os conflitos da sua empresa com uma comunicação transparente e efetiva, queremos convidar você a conhecer o curso Comunique-se e saber como ele pode ajudar!

Curso
Liderança inclusiva: construindo uma equipe diversa e de alta performance

A liderança inclusiva é determinante para alcançar um dos principais objetivos das organizações atuais: ter diversidade no capital humano. Afinal, aquilo que os líderes fazem é reconhecido como as ações da própria organização e manifesta a cultura interna.

 

Contudo, por ser um tema recente, é natural que você tenha dúvidas sobre como se adequar às melhores práticas. Por isso, se está à frente de um time, fique atento às tendências e boas práticas para realizar mudanças positivas na sua gestão de pessoas.

 

Neste conteúdo, abordamos como criar uma equipe diversa e de alta performance. Continue a leitura e coloque a liderança inclusiva em prática!

 

O que é liderança inclusiva?

Uma boa liderança entende quais são as necessidades do grupo e consegue engajar os membros da equipe a perseguirem objetivos comuns. Portanto, quem está à frente de um time precisa desenvolver inúmeras competências comportamentais, como inteligência emocional, comunicação e capacidade de engajar os demais. 

 

A liderança inclusiva parte da identificação da necessidade de senso de justiça, criatividade, inovação e resolução de problemas no ambiente de trabalho. Além disso, reconhece que as pessoas são diferentes entre si e entende que essa característica só traz benefícios para a organização.

 

Como exercer uma liderança inclusiva?

Na prática, o trabalho de trazer inclusão e diversidade para as equipes exige mudanças comportamentais por parte do líder. Com isso, exerce-se uma liderança inspiradora, que consegue colocar todos na mesma direção sem apelar para imposição por meio da posição hierárquica.

 

Desenvolva o conceito de equidade

É importante criar normas mais justas, que vão afetar a concessão de benefícios e a cobrança no ambiente de trabalho. Em um primeiro momento, isso corresponderá a tomar providências para que as pessoas tenham igual consideração e respeito na equipe, sem desconsiderar as diferenças.

 

Além disso, é importante redesenhar os procedimentos, buscando dar oportunidades mais igualitárias para os diferentes grupos da organização. 

 

Um exemplo é o recrutamento às cegas, em que os currículos são analisados sem identificar o candidato, outro são os comitês de calibragem de avaliação de desempenho, que verificam os critérios utilizados pelos líderes, a fim de evitar vieses.      

 

Utilize a escuta ativa

Outra habilidade comportamental relevante é desenvolver um interesse genuíno por ouvir os colaboradores. O líder deve estar verdadeiramente presente, eliminando distrações externas e internas, durante o diálogo com os seus liderados.

 

Com isso, é possível entender mais claramente as demandas dos profissionais e o contexto de trabalho em que eles estão inseridos. Além disso, a partir da escuta ativa, estaremos mais próximos de conhecer as características, valores, experiências e demais diferenças entre as pessoas, para respeitá-las.

 

Demonstre empatia pelo time

Na liderança inclusiva, a capacidade de olhar as situações e entender a perspetiva do outro também é uma atitude fundamental no trabalho. Por isso, a empatia deve estar no topo das prioridades de desenvolvimento pessoal e profissional.

 

Fique atento, ainda, com a diferença entre empatia nociva e assertiva. A primeira é caracterizada pelo entendimento das necessidades do outro, mas com a omissão diante dos problemas. Já a segunda é aquela que alinha a preocupação e a conduta do líder.

 

Imagine, por exemplo, que o melhor candidato foi prejudicado em razão de preconceitos no processo seletivo. Em ambas as modalidades, o líder entende o problema e consegue ver a situação pela perspectiva do outro. Porém, apenas na empatia assertiva, ele faz algo para resolver a questão.

 

Melhore a capacidade de comunicação

Por fim, a comunicação é fundamental para que a liderança inclusiva se consolide na empresa. Afinal, haverá uma grande diferença entre ter uma equipe encorajada a seguir uma direção, comprando a mudança e estando engajada em ser mais aberta às diferenças.

 

O desafio é que, muitas vezes, o líder tem um conhecimento técnico profundo, mas não domina habilidades de comunicação. Logo, pode enfrentar dificuldades para promover um diálogo eficiente com os liderados.

 

Aqui na SOAP, ajudamos profissionais a desenvolverem as competências comportamentais, que, como visto, são cada vez mais relevantes. Atualmente, temos uma qualificação completa sobre inteligência emocional, comunicação empática, assertividade e diversas outras soft skills.

 

Sendo assim, se você quer praticar uma liderança inclusiva, podemos contribuir com a qualificação necessária para tocar esse projeto. Com o treinamento adequado, você também conseguirá construir times diversos de alta performance.

 

Conheça agora mesmo o curso Comunique-se e inicie a sua jornada de desenvolvimento!   

Curso
Mapa mental: o que é, benefícios e como utilizar

Conhecer a definição de mapa mental e entender sua importância pode ajudar você a criar apresentações dinâmicas e alcançar excelentes resultados.

 

Uma boa apresentação requer estratégias para transmitir a mensagem com clareza e envolver o público. Para isso, as ideias devem estar organizadas de maneira prática possibilitando o desenvolvimento da comunicação.

 

As técnicas do mapa mental podem ajudar nesse sentido, pois, quando aplicadas permitem melhor gestão das informações. Além de facilitar a geração de ideias são também potencializadoras da resolução de problemas.

 

Neste post você vai saber o que é um mapa mental e para que ele serve. Continue lendo e veja também por que você deve utilizá-lo em suas apresentações e quais os benefícios da aplicação dessa técnica!

O que é um mapa mental e para que serve?

O mapa mental é uma ferramenta de gestão prática, simples e lógica de informações, conhecimentos e ideias. Utilizando recursos como cores, setas e balões, a técnica possibilita maior organização e memorização do que será apresentado.

 

Criado em 1960 pelo consultor inglês Tony Buzan, o mapa mental ajuda a criar resumos por meio dos recursos simbólicos. Com isso, as ideias fluem com maior facilidade, podendo causar maior impacto em quem recebe a mensagem.

 

A cada tema abordado é possível traçar uma linha de raciocínio para acompanhar um fato histórico, uma cronologia, uma ocorrência pontual, com base nas descrições apresentadas, possibilitando melhor entendimento.

 

Os diferentes contextos que envolvem questões políticas, sociais, econômicas costumam ser mais fáceis de compreender com o uso dessas técnicas. É uma forma quase lúdica de levar a informação para o público e explorar o campo visual de aprendizado.

 

Por que utilizar mapas mentais em apresentações de empresas e negócios?

Se você vai abordar um assunto e deseja fixar pontos específicos, o mapa mental é o recurso ideal para suas apresentações. Ele permitirá uma visão geral sobre o tema e estimulará a percepção do que é relevante.

 

O mapa mental é uma ferramenta educativa, que serve para orientar e condicionar a memorização para o que é mais importante. É uma forma de ajudar a mente a organizar as ideias em detalhes, como fichas de anotações.

 

A capacidade cerebral de captar e assimilar ideias é incrível e o mapa mental aproveita essa habilidade cognitiva para plantar a informação por meio dos elementos gráficos.

 

No caso das apresentações empresariais, no geral, os temas abordados têm uma forte conexão com a marca e o negócio, seja para promover o engajamento dos colaboradores, seja para venda de um produto ou serviço.

 

Para não perder a capacidade de raciocínio ou deixar de abordar um conteúdo importante, usar as técnicas do mapa mental ajuda a manter uma linha de pensamento e conduzir o público para a associação ou reflexão.

 

Quais são os benefícios da aplicação do mapa mental?

Um mapa mental bem construído possibilita melhor entendimento e compreensão dos problemas. Como as informações são detalhadas e gerenciadas adequadamente, a tendência é que o ponto gerador de um problema seja identificado mais facilmente.

 

Com isso, de forma prática, inteligente e dinâmica, muitas respostas vão surgindo para os questionamentos que cercam todo tipo de problema. Qual a gestão não deseja encontrar bons elementos estratégicos para o seu negócio.

 

Quando as apresentações estão vinculadas a projetos e atividades, o mapa mental ajuda no desenvolvimento das equipes, otimizando o trabalho. Assim, os processos são melhorados, aumentando a produtividade.

 

Alguns benefícios podem ser percebidos pelo uso contínuo das técnicas de mapa mental:

 

  • análise do mercado;
  • definição de um fluxo de trabalho;
  • identificação de oportunidades;
  • avaliação do desempenho de colaboradores;
  • fixação de conteúdo;
  • estudo das tendências;
  • melhor planejamento de negócios;
  • estruturação das estratégias de marketing e vendas;
  • compreensão das demandas;
  • identificação do perfil do público-alvo;
  • otimização da rotina diária.

 

Como usar o mapa mental na prática e alcançar resultados positivos nas apresentações?

O primeiro passo para uma aplicação eficiente das técnicas de mapa mental é definir a ideia central do que será apresentado. Essa etapa é importante para que você compreenda suas próprias necessidades para visualização do cenário e formulação do contexto.

 

Para enriquecer a apresentação e garantir não apenas a presença, mas a audiência, você precisará impulsionar toda a sua criatividade e estimular a memorização para, na hora, usar os termos, expressões e palavras certas.

 

Um bom exercício de preparação é escrever palavras-chave que sejam o gancho das falas. Evite frases longas para não confundir e prejudicar a memorização. Trechos longos além de cansativos, poluem a visão, colocando em risco o dinamismo da apresentação.

 

O mapa mental tem maior alcance em pessoas com facilidade de aprendizado visual. Se esse é o seu caso, use e abuse dos recursos gráficos como símbolos, fotos, desenhos, cores, setas – excelentes meios de fixação dos conceitos.

 

Outra forma de utilizar o mapa mental como instrumento de apresentação é fazer ramificações em curva e não em linha reta. O criador, Tony Buzan, afirma que o cérebro pensa por imaginação fazendo associações.

 

As ramificações em curva refletem esse funcionamento, logo, promovem maior dinamismo ao desenvolvimento das ideias, considerando que as linhas retas sendo rígidas, podem deixar o cérebro entediado e improdutivo.

 

O mapa mental não é um planejamento fixo e inalterável, pelo contrário, é importante que, sempre que surgirem novas ideias, seja editado, com inclusão ou exclusão de informações e dados.

 

Depois de pronto, mantenha-o por perto para consultas sempre que julgar necessário. Como se trata de um facilitador da geração de ideias e resolução de problemas, pode ser que durante uma consulta, você tenha insights ainda não visualizados.

 

Existem algumas ferramentas especializadas que podem ser usadas para produção do mapa mental:

 

  • MindMeister
  • Coggle
  • GoConqr
  • Draw.io
  • Canva

 

Conheça o trabalho da SOAP

SOAP é o acrônimo de “State of The Art Presentations” e nosso trabalho, especializado em apresentações profissionais, consiste em auxiliar empresas, executivos, líderes e gestores a alcançarem excelência na hora de se comunicar, seja com ou público interno ou externo.

 

Para nós, uma boa comunicação empresarial é algo desafiador que envolve a necessidade de transmitir com clareza e objetividade uma ideia. Até mesmo para quem está em posição de liderança, acostumado a comandar equipes, pode sentir insegurança em uma apresentação.

 

Com o curso “Comunique-se” criamos uma metodologia pioneira que compreende uma estratégia bem definida, um roteiro que transforma as mensagens corporativas em uma verdadeira história, um suporte visual no estado da arte e um apresentador preparado para dar um show.

 

O curso tem foco direcionado aos profissionais de primeira liderança, que estão em busca de ascensão de carreira em diversas áreas. São pessoas conscientes da necessidade de uma boa comunicação interpessoal e do quanto ela é imprescindível para conduzir equipes e processos.

 

Nossa abordagem das diferentes competências comunicativas, voltadas para a comunicação ampla, inteligência emocional, narrativa, entre outros, faz do nosso curso, o único do mercado que aborda os diversos aspectos da comunicação de ponta a ponta.

 

Durante a preparação, introduzimos os elementos do mapa mental para ajudar você a construir uma apresentação rica e estimulante. Com a ideia certa e palavras bem posicionadas para transmiti-la ao seu público sua apresentação será um sucesso.

 

Gostou do post? Para abrilhantar ainda mais as suas apresentações e alcançar o nível de compreensão almejado, convidamos você a conhecer o curso Comunique-se. Venha ver de perto todas as melhorias que podemos promover para a sua evolução profissional e o reflexo que isso terá na sua empresa!

Curso
Conheça os estilos de aprendizagem para personalizar suas apresentações

O profissional que quer ter sucesso em suas  apresentações corporativas deve conhecer profundamente os estilos de aprendizagem. Afinal, cada indivíduo tem a sua própria maneira de captar as informações e enviá-las para o cérebro para transformá-las em conhecimento. 

 

Ou seja, o apresentador deve adaptar a sua apresentação para as principais inteligências. Esse é o segredo de uma boa comunicação interpessoal. 

 

Basicamente, os estilos de aprendizagem, são a representação de parte dos nossos cinco sentidos — visão, audição, o tato, o olfato e o paladar. Cada pessoa costuma ter um ou mais deles desenvolvidos. Você já viu falar “Nossa, ele é tão observador”. O segredo das apresentações está aí. 

 

Pensando nesse desafio para os apresentadores, elaboramos este artigo com os três principais estilos de aprendizagem. Dominando cada um deles, você será capaz de criar apresentações personalizadas e com mais eficiência que atendam a expectativa de todos os participantes. Boa Leitura!

 

Estilo de aprendizagem visual

Já ouviu falar em São Tomé? Aquele que só acreditava vendo? Então, os indivíduos que apresentam esse estilo de aprendizagem são bastante parecidos com ele. São aquelas pessoas que têm uma memória fotográfica, ou seja, facilidade de gravar imagens.

 

Pessoas com estilo de aprendizagem visual tendem a fazer anotações para assimilar algo ou gravar na memória. Elas não se satisfazem ou não se dão bem apenas ouvindo o apresentador. 

 

Para que você consiga prender a atenção de um público visual, a sua apresentação precisa de algumas características. Alguns recursos ricos que podem incrementar as apresentações são:

 

  • desenhos;
  • gráficos; 
  • pinturas;
  • cores;
  • mapas mentais;
  • apostilas.

 

Estilo de aprendizagem auditivo

O nome desse estilo de aprendizagem já dá uma dica de qual dos cinco sentidos os indivíduos desse grupo têm de mais desenvolvido. 

 

As pessoas que têm a audição dominante, quando ouvem alguma informação, logo gravam. Eles tendem a gostar muito de podcasts, por exemplo. 

 

Às vezes, até podemos pensar que elas são meio malucas, pois costumamos vê-las conversando sozinhas. Porém, não são. 

 

Então, não se assuste, pois elas estão apenas usando o recurso da audição para que os seus cérebros entendam a informação como importante e grave por mais tempo. Os músicos em geral têm essa habilidade bastante desenvolvida.

 

Sabendo disso, veja o que você precisa na hora de montar as suas apresentações para agradar essas pessoas:

 

  • músicas;
  • histórias;
  • piadas;
  • charges.

 

Estilo de aprendizagem cinestésico

Esse termo pode parecer um pouco estranho, mas se pesquisarmos a origem e o significado dessa palavra vamos perceber que ela está associada à percepção de movimentos musculares. Nesse momento você já pode pensar, mas o que isso tem a haver com estilo de aprendizagem?

 

A relação do estilo de aprendizagem cinestésico com movimentos musculares se deve ao fato de que determinados indivíduos desenvolvem a capacidade de aprender por meio de situações práticas da vida. Ou seja, eles são extremamente ativos. São aqueles que não se prendem muito às teorias.

 

Imagine aquelas pessoas mais agitadas. No caso das crianças nas escolas, as professoras costumam considerá-las hiperativas. Mesmo quando adultas, elas não conseguem ficar muito tempo ouvindo uma história ou lendo um texto extenso em um local silencioso demais. 

 

Sendo assim, você já entendeu que tem pela frente mais um grande desafio. Para esse público, é importante criar estratégias que chamem a atenção desses indivíduos e sejam apresentações criativas

 

O ideal é que não sejam muito maçantes e monótonas, do contrário elas são capazes de levantar das suas cadeiras e ir embora, ou ficarem um período fora da sala do auditório. 

 

Veja as dicas que preparamos para você manter a turma com as características do estilo de aprendizagem cinestésico interessada na sua apresentação:

 

  • crie debates;
  • se possível faça pequenos intervalos;
  • movimente-se no palco;
  • dê exemplos práticos,
  • evite ficar somente na teoria;
  • faça provocações e indagações.

 

Esses são os estilos de aprendizagem considerados mais relevantes pelos especialistas. São eles que diferenciam os indivíduos presentes nos eventos. Então, não perca tempo, coloque um pouco de cada estilo em sua próxima apresentação e acelere o seu potencial de comunicação.  

 

A SOAP Apresentações é especialista em ajudar empresas nos momentos mais desafiadores, ou seja, na comunicação e nas apresentações. Com cursos completos e totalmente online, você dominará não só os estilos de aprendizagem, mas todas as técnicas para reuniões e apresentações eficientes.

 

Agora que conhece os estilos de aprendizagem, conheça o nosso curso Comunique-se e desenvolva técnicas poderosas para todos os tipos de apresentações!

Curso