BLOG MOMENTOS DECISIVOS

Especialista do TED dá 10 dicas para criar slides eficazes e bonitos

lsilveira
6.789 views

Post original : TED Blog Quando seus slides fazem sucesso, toda a apresentação ganha vida. No TED2014, David Epstein criou slides cleans e informativos para apoiar seu discurso sobre a mudança do físico dos atletas.

 

Aaron Weyenberg é o mestre das apresentações em slides.
O Líder de UX (User Experience) do TED cria apresentações no Keynote que são práticas e têm charme daquele tipo que impressiona e cativa, mas de uma maneira minimalista, que deixa o público focado no que realmente está sendo dito. Isso vale para as suas próprias apresentações e também para aquelas que ele faz para os seus colegas de escritório. Sim, os colegas de trabalho de Aaron pedem que ele faça seus slides, porque ele é realmente bom!
Então pedimos a ele que nos contasse os segredos do Keynote, assim mais pessoas poderiam aproveitar as dicas. Aqui vão 10 dicas para fazer uma apresentação em slides eficiente. As dicas estão divididas em duas partes: os objetivos maiores e mais abrangentes e as pequenas dicas e truques para deixar a sua apresentação nos trinques.

 


TED_1

Aaron utilizou essa imagem de um desastre na Nova Zelândia como o primeiro de um conjunto de slides da equipe técnica do TED de como eles se preparam para os piores cenários. Ele pediu permissão para utilizar a imagem e colocou os créditos do fotógrafo, Blair Harkness. Veja aqui todos os slides dessa apresentação.

 

Uma visão geral…

 

1. Deixe pra pensar nos slides por último.

A criação dos slides deve ser a etapa final do processo de desenvolvimento da sua apresentação. Pense na mensagem principal, estruture os pontos de apoio, ensaie sua apresentação e cronometre-a e só então comece a pensar nos slides. A apresentação deve se manter sozinha; os slides são apenas algo que você acrescenta para poder melhorar a experiência de quem está assistindo. Frequentemente vejo apresentações que mais parecem anotações do apresentador. Eu, no entanto, penso que slides são mais eficientes quando feitos para proporcionar uma experiência visual que acrescente algo às palavras.

 

 

2. Crie uma identidade visual consistentes.

Em uma boa apresentação, cada slide parece fazer parte da mesma história. Isso implica em usar tipografia, cores e imagens iguais ou semelhantes em todos os slides. Utilizar um slide-mestre pré-formatado pode ser uma boa solução, mas é um recurso limitado e pode parecer que é mais do mesmo que já vimos por aí. Gosto de criar alguns slides que suportem elementos gráficos e texto, e então copio o que preciso daqueles slides ao longo da apresentação.

 

 

3. Pense nas mudanças de tópico.

Mas também é fácil exagerar na consistência. Você não vai querer que seus slides fiquem exatamente iguais, não é mesmo? Eu gosto de adotar um estilo para os slides que são o coração daquilo que estou falando, e outro estilo para as mudanças/transições de tópico. Por exemplo: se a maioria dos meus slides tem um fundo escuro com texto em cores claras, utilizo um fundo claro com fonte escura nos slides de transição. Isso faz com que os slides pareçam da mesma família, mas a apresentação ganha textura e o público entende que estamos mudando de tópico.

 

 

4. Se tratando de texto, menos é quase sempre mais.

O que deve ser evitado: slides com muito texto. Principalmente se forem uma repetição do que você está falando em voz alta. É como se você entregasse um documento impresso numa reunião a cabeça das pessoas fica abaixada para ler o que está escrito, ao invés de permanecer levantada e atenta ao que está sendo dito. Se seu slide tem muito texto, você está pedindo ao público que divida a atenção entre o que estão lendo e o que estão ouvindo. É uma tarefa difícil para o nosso cérebro, e compromete a eficácia tanto do texto que está nos seus slides quanto da sua fala. Se não houver como evitar slides com muito texto, tente disponibilizar o texto aos poucos (em tópicos um a um, por exemplo), à medida que for precisando.

 

 

5. Use imagens que otimizem o significado.

Gosto de usar imagens simples e incisivas em apresentações, pois tais imagens fazem a fala do apresentador ressoar na mente do público, sem tirar-lhes a atenção dada às palavras ditas. Procure imagens que (1) digam muito sobre o conceito abordado por você (2) não sejam complexas na composição. A imagem pode ser uma metáfora ou algo mais literal, mas o motivo das pessoas estarem olhando para ela deve ser claro, assim como também deve estar claro o porquê dessa imagem estar relacionada à sua fala. Por exemplo: usei a imagem acima recentemente a foto de um navio cargueiro prestes a tombar (e por fim naufragar) para introduzir uma apresentação sobre preparação para o fracasso. E abaixo temos outro exemplo de foto, que usei em uma apresentação para falar do lançamento do novo TED.com. O ponto ao qual queria chegar é o de que o lançamento não é o fim de um projeto é o início de algo novo. Iremos aprender, nos adaptar, mudar e crescer.

 

 

TED_00

Aqui temos uma bela imagem de uma apresentação feita por Aaron para o novo design do site TED.com.  Veja aqui todos os slides dessa apresentação.

E agora, vamos às dicas táticas…

 

1. Vá devagar com os efeitos e as transições.

Tanto o Keynote quando o Powerpoint vêm com diversos efeitos e transições. Mas na minha opinião, estes recursos não acrescentam muito à experiência do usuário. Ao contrário, eles dão a entender, de maneira sutil, que o conteúdo dos seus slides é tão desinteressante que o virar de uma página ou uma transição com um barulho de gota caindo vão conseguir retirar o público de um estado letárgico. Se for utilizá-los, escolha os mais discretos e seja consistente…

 

 

2. Use a ferramenta máscara para criar focos de atenção nas imagens.

Para destacar algo em uma imagem, você pode usar uma seta grande. Ou utilizar a técnica que chamo de duplicar e mascarar. Utilizo muito esse recurso quando faço demonstrações do design de novas páginas, e especialmente quando não quero que o público veja o design todo sem que eu tenha terminado de falar sobre elementos individuais. Esta é a imagem original:

 

 

SOAP_TEDBlog

E este é o processo de mascarar a imagem:
(1) Em cima da imagem, abra uma quadrado branco
(2) Em “formatar forma”, ajuste a transparência desse quadrado
(3) Duplique a imagem em cima da outra.
(4) Agora recorte essa segunda imagem de modo que apareça apenas a parte a ser destacada O produto final será algo parecido com esta imagem. Você pode utilizar essa técnica para destacar o que quiser num screenshot. Uma palavra, uma foto, uma seção de conteúdo o que você quiser que seja o foco de atenção do seu público.

 

SOAP_TEDBlog

Você pode utilizar essa técnica para destacar o que quiser num screenshot. Uma palavra, uma foto, uma seção de conteúdo o que você quiser que seja o foco de atenção do seu público.

3. Use o recurso panorâmico para as imagens grandes.

Frequentemente, nas minhas apresentações, mostro um printscreen de uma página inteira da internet. Existe uma extensão do Chrome que é muito boa para isso mas as imagens geralmente são bem maiores que o tamanho da tela da apresentação. Em vez de redimensionar a imagem num tamanho ilegível ou de cortá-la, você pode usar o recurso perspectiva à medida que for falando durante a apresentação. No Keynote isso pode ser feito com o efeito Mover, que pode ser aplicado no botão de ação do objeto.

 

 

4. Não use o recurso autoplay em vídeos.

Inserir vídeos no Keynote ou PowerPoint é muito fácil: é só arrastar um arquivo Quicktime para o slide. Quando você avança a apresentação para chegar no slide com o vídeo em autoplay, pode ser que o computador demore a carregar o vídeo e exibi-lo. Então não foram poucas as ocasiões em que vi apresentadores clicarem várias vezes no slide na tentativa de dar o play no vídeo, fazendo com que a apresentação pulasse para o próximo slide. Ao invés de habilitar o autoplay, configure para “click to play”. Assim você tem mais controle sobre o início do vídeo, e pode até mesmo selecionar uma moldura para exibi-lo antes de iniciá-lo.

 

 

5. Reproduza tabelas e gráficos de forma simples.

Não há problemas em usar tabelas numa apresentação, mas quase sempre isso acaba resultando numa quebra de estilo do conjunto de slides. Se os elementos gráficos são simples o bastante (e se você tem tempo sobrando), existe uma maneira de torná-los mais agradáveis de se ver. Você pode redesenhá-los no app nativo. Pode parecer um trabalho desnecessário, e pode realmente ser desnecessário para os seus propósitos, mas é algo que pode tornar a sua apresentação mais consistente e direta, ainda que vários assuntos sejam abordados. Deste modo você tem controle das cores, da tipografia, etc. Aqui vão alguns exemplos.

 

SOAP_TEDBlog SOAP_TEDBlog

 

Por último, gostaria de recomendar alguns livros.
Não é exatamente sobre slides, mas sobre falar em público de maneira geral a base de qualquer apresentação, independente da qualidade dos seus slides. Nesse livro, Nancy apresenta o esqueleto de uma boa apresentação e mostra como é possível estabelecer uma mensagem central e estruturar sua fala, além de dar outras dicas valiosas. (Um dos estudos de caso do livro vem da charmosa apresentação de Benjamim Zander no TED Talks, a qual cativou o público do início ao fim).
Pense nessa leitura como pré-requisito para a minha segunda recomendação de livro, também de Nancy Duarte: “Slide:ology.” Este é mais focado em recursos visuais e slides de apresentações. Além dos livros recomendados por David Epstein, é claro que não podemos deixar de recomendar o livro da SOAP! Clique na imagem abaixo e baixe gratuitamente um pedacinho para degustação!