BLOG MOMENTOS DECISIVOS


O que de fato é o coaching (e como a técnica pode ajudar você)

SOAP Apresentações Profissionais
1.121 views

Para quem é indicado, como funciona e por que confiar no processo de coaching

 

Imagine que, após anos de dedicação, você finalmente consegue aquela promoção tão esperada. Junto com a conquista, virão também novas responsabilidades. Sua função pode, por exemplo, exigir que você conduza mais reuniões ou faça apresentações, internas ou para clientes. “Ainda fico muito nervoso ao falar em público e não sei se crio empatia com as equipes!”

 

Pois é: novos desafios profissionais exigem habilidades que não necessariamente você já possui. É para resolver esse tipo de dilema que muitas pessoas buscam um coach.

 

O processo de coaching é uma ajuda profissional para que a pessoa desenvolva competências para alguma situação futura que enfrentará, ou que já esteja enfrentando. Em boa parte dos casos, uma situação que envolve a carreira ou um desafio profissional.

 

Diferentemente da terapia, que é um processo mais profundo e prolongado, o coaching busca solucionar uma questão específica em um momento específico.

 

Você pode sentir a necessidade de desenvolver a comunicação interpessoal, aprender a dizer não ou ser mais flexível com a equipe”, diz a Carla Carvalho, nossa coach de comunicação.

 

Você pode ter um ótimo currículo e uma vasta experiência profissional. Mas não tem jeito: uma mudança de cargo, de empresa ou novas exigências do mercado de trabalho pedem novas habilidades. Às vezes, uma ajuda externa é necessária para trilhar o caminho com mais confiança. O coaching ajuda os profissionais a refletirem e a fazer mudanças de forma mais rápida, eficaz e menos dolorosa.

 

A Carla, por exemplo, ajuda executivos a melhorarem sua comunicação, seja em reuniões internas ou em apresentações para 500 pessoas. Ela trabalha para melhorar o lado emocional, os gestos e a entonação de voz, além da capacidade de criar empatia com o público. Como coach, ela consegue ajudar executivos a identificar seus pontos fracos e a desenvolvê-los.

 

Jorge Teixeira de Gouvêa Neto também é coach e especialista em Terapia Cognitiva Comportamental. Ele dá o exemplo de um gerente regional de vendas de uma empresa multinacional que foi promovido a gerente nacional. Era um profissional competente, mas que estava sobrecarregado de trabalho e estressado. Seus supervisores acreditavam que essa condição poderia prejudicá-lo na nova função. Com o processo de coaching, ele se sentiu mais seguro para delegar mais tarefas à sua equipe, ganhou tranquilidade para tomar decisões e perdeu dez quilos, retomando a prática de esportes. Essa é uma característica do coaching: mesmo quando o objetivo é estritamente profissional, há a tendência de ganhos na vida pessoal. Um efeito colateral positivo.

Como funciona?

O coaching é conduzido com conversas, reflexões e ação. Geralmente, há três principais figuras envolvidas no processo:

  • O coach, ou seja, a pessoa que estudou e se especializou em conduzir esse desenvolvimento;
  • O coachee, que são os clientes, que traçam metas de desenvolvimento e buscam alcançá-las por meio das sessões de conversa com os coaches;
  • Profissionais do departamento de recursos humanos das empresas, que muitas vezes percebem a necessidade de um apoio ao funcionário e dão início ao processo.

 

As sessões podem ser semanais, com duração de até uma hora e meia. A Carla, por exemplo, sugere inicialmente seis sessões, mas há profissionais que trabalham com dez ou 12 encontros.

 

A coach executiva Ana Luisa Pliopas, reconhecida internacionalmente como supervisora de outros coaches e professora da Fundação Getulio Vargas, diz que o primeiro passo é entender o objetivo do coaching. “É importante a pessoa que vai contratar coach saber qual o ponto que quer trabalhar, que tipo de apoio precisa, além de quanto você está disposto a investir, não só em dinheiro, mas também em tempo, tanto nas interações e sessões de coaching quanto nas tarefas e lições de casa”, diz ela, que também foi diretora de RH de bancos como Goldman Sachs e J.P. Morgan.

Saiba com quem está falando

A popularização do coaching fez com que surgissem vários profissionais no mercado, o que tirou em parte a credibilidade de algumas abordagens. Porém, existem muitos coaches que fazem um trabalho sério. Eles utilizam inclusive outras fontes de conhecimento para potencializar a técnica, como a Psicologia, a Comunicação e a Administração.

 

Para Ana Luisa, o mercado se ajustará com o tempo, pois, com o aumento da demanda, houve também uma profissionalização, tanto dos coaches quanto das pessoas que os contratam. Bons departamentos de RH contam com profissionais que fizeram coaching e sabem reconhecer um especialista bem preparado. Instituições nacionais e internacionais, como a International Coach Federation (ICF) e Coaching Supervision Academy (CSA), também são referências para quem deseja contratar esse tipo de serviço, pois suas credenciais garantem a qualificação dos profissionais.

 

No Coaching de Comunicação da SOAP, desenvolvemos a performance comunicativa e inteligência emocional para formar comunicadores mais conscientes e seguros. Para saber mais, agende um encontro com a gente!

 

Quer saber mais?

  • The completely revised handbook of coaching: a developmental approach, Pamela McLean e Frederic Hudson
  • Coaching: o que você precisa saber, Eliana Dutra; Coaching executivo – a conquista da liderança, Rosa R. Krausz
  • Coaching executivo – uma questão de atitude, Vicky Bloch, João Mendes e Luiz Visconte
  • Livro clássico escrito pelo precursor do conceito de coaching como é usado hoje (Timothy Gallwey): The inner game of tennis: the classic guide to the mental side of peak performance, Timothy Gallwey, Zach Kleiman e Pete Carroll; tigis.com.br.