Como é gerada a energia de uma história

SOAP Apresentações Profissionais - 13/07/2016

Energia está em pauta no momento. Com crise econômica, intempéries climáticas e apreensões quanto a um possível racionamento, vivemos o dilema de ter energia para acelerar nosso crescimento ou de desacelerar o crescimento para não ficar sem energia.

 

Não é à toa que a ExpoGestão, principal encontro de negócios do Sul do Brasil, abre sua programação hoje com o futuro da Energia Elétrica na pauta. Um momento decisivo para os executivos que vão debater esse assunto e apontar soluções para o País.

 

A SOAP ajudou um desses executivos do setor de Energia Elétrica a se preparar para esse momento decisivo, ajudando-o na geração de um outro tipo de energia: a energia da história que ele irá compartilhar dentro desse importante debate.

 

Uma inspiração para esse trabalho vem de uma outra história, do qual o tema é também a Energia: a comentada palestra de Elon Musk, CEO da Tesla Motors, que teve até o momento mais de 2,3 milhões de visualizações no YouTube. Vamos analisar como foi gerada a energia para manter as pessoas conectadas a essa história do início ao fim.

 

 

Carga positiva X carga negativa

De largada, podemos perceber como o princípio da energia de uma história é, de certa forma, análogo ao princípio da carga elétrica. De acordo com a Wikipédia, “convenciona-se a existência de dois tipos de carga, a positiva e a negativa, que, em equilíbrio, são imperceptíveis. (…) Um corpo está carregado eletricamente quando possui uma pequena quantidade de carga desequilibrada ou carga líquida.”

 

Pois o que move uma história para a frente, da mesma forma que a carga gerada em uma corrente elétrica, é justamente essa dinâmica entre a carga positiva e negativa das mensagens que são comunicadas pelo apresentador. Uma história será sempre sobre um mundo que está em desequilíbrio, com forças atuando nesses dois sentidos até o fim da história, quando a carga positiva ou a negativa poderá predominar.

 

As idas e vindas entre os dois pólos dessa carga gera o que chamamos de Viradas, que geram toda a energia da história. Vamos ver as principais viradas entre mensagens positivas (+) e negativas (-) da história contada por Elon Musk?

 

 

ATO 1

Musk inicia a palestra indo de forma direta a esse ponto: nosso mundo está em desequilíbrio, pois hoje a maior parte da energia elétrica é gerada a partir da queima de combustíveis de combustíveis fósseis.

 

Negativo (-) 1:00

A conseqüência é a elevação da emissão de carbono que pode tornar a vida no planeta inviável.

 

Positivo (+) 2:00

Mas há solução: o sol, um grande emissor de energia que já trabalha de forma incansável todos os dias

 

(-) 2:30

Só que essa energia precisa ser captada por painéis que podem ocupar uma área enorme.

 

(+) 3:15

Mas já está demonstrado que não: basta uma área menor que o estado do Texas – simbolizada por um pequeno quadrado azul– para fornecer energia a todos os Norte-americanos.

 

(-) 4:00

Só que o sol não brilha à noite, portanto é necessário o armazenamento de energia elétrica por meio de baterias – “pixel” vermelho dentro do quadrado azul -, conhecidamente caras, não confiáveis, com baixa durabilidade, eficiência e escalabilidade.

Chegamos ao conflito principal da história: como armazenar energia de forma sustentável para todo o mundo a partir da geração solar? É isso que Musk chama de “Missing Piece”: o elo perdido entre a capacidade disponível de se converter luz solar em energia elétrica e o transporte dessa energia, o que já é o principal negócio de sua empresa, que fabrica carros elétricos.

 

 

ATO 2

(+) 6:30

Nesse momento é apresentado o Tesla Powerwall, por meio de um rápido videoclipe que resume os benefícios dessa bateria, de belo design, fácil instalação e pouca ocupação de espaço, contrapondo o que se conhece sobre baterias hoje. Musk coloca uma cereja nesse bolo, revelando que isso é possível a um custo acessível.

 

(-)

Mas e quem nem tem acesso a energia elétrica como é hoje, como fica? Musk endereça um atributo importante do Powerwall e que gera um impacto global: por eliminar a necessidade de linhas de transmissão de energia, é uma solução que pode ser aplicada em locais remotos, de difícil acesso e levar luz, conectividade e infraestrutura a muitas localidades carentes.

Nesse ponto vale uma crítica à Musk, que não resistiu à vaidade de muitos executivos que, depois de apresentarem sua solução, não conseguem parar de falar só coisas boas a respeito dela. Musk chega a mencionar um pouco desse impacto, mas de forma muito superficial, pois preferiu destacar os atributos do Powerwall. Perdeu, assim, uma oportunidade de valorizar bastante o impacto global que seu invento pode gerar.

 

(+) 12:00

E assim ele continuou, destacando outra derivação dessa solução para aplicação em escalas maiores, o Powerpack. Aqui, ele poderia trazer exemplos de onde essa tecnologia foi aplicada. Mas ao invés disso, foi além, e demonstrou que todo o auditório em que estava sendo realizado o evento já tinha energia gerada a partir de suas baterias.

 

(-) 13:00

Mas o quanto demandaria levar isso a uma cidade inteira, um Estado, um País, o mundo?

 

(+) 14:00

A partir daí, Musk vai aumentando a escala do desafio e respondendo com sua solução, até chegar ao numero de 2 bilhões de Powepacks para suprir toda a energia elétrica do mundo para qualquer finalidade.

 

(-)

Mas isso é viável? Um número dessa magnitude?

 

(+)

Musk demonstra que os veículos na estrada hoje já são 2 bilhões, portanto a humanidade tem possibilidade de produzir essa quantidade de produtos em escala. E é o que a Tesla está fazendo com a criação de uma espécie de fábrica geradora e armazenadora de energia elétrica, a Gigafactory.

 

(-)

E com isso, sua empresa basicamente vai dominar o mundo?

 

(+)

Musk fala então sobre a filosofia de inovação aberta da empresa, afirmando que muitas outras empresas vão poder atuar nesse segmento, criando suas próprias Gigafactories.

 

 

ATO 3

(+)

E então, a história chega a uma mensagem climática: mais do que um novo mercado que se abre, é um novo futuro para toda a humanidade. Musk retoma o gráfico que mostrava no início a enorme escalada das emissões de carbono e mostra como a humanidade hoje tem na mão a possibilidade de reescrever o futuro, reduzindo enormemente essas mesmas emissões.

 

18 minutos e 15 viradas depois, a  frase final de Musk foi: “We can do and we will do.”

 

Uma história, por menor que seja, vai ter ao menos 2 viradas, de uma situação que se complica (-) e que depois se transforma (+). O desafio é qualificar essas viradas para potencializar a energia que move a história.

 

Você acredita que pode e vai fazer sua próxima história gerar energia com boas viradas?

 

Com experiência em gerar energia para mais de 12 mil histórias desde 2003, a SOAP tem um time de roteiristas à sua disposição para ajudar a energizar seus próximos momentos decisivos.

 

Conte com a gente!

Você também pode gostar de:

Receba nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba materiais gratuitos e os posts mais visitados em seu e-mail.

Qual é seu nome?


Qual é e-mail?


Materiais Gratuitos

Disponibilizamos uma serie de materiais para ajudá-lo a criar apresentações no estado da arte.

SOAP Treinamentos

Cursos de comunicação corporativa para você.