BLOG MOMENTOS DECISIVOS


Reunião importante na agenda? Confira 3 dicas para aumentar suas chances de sucesso

SOAP Comunicação Corporativa
556 views

Empatia é algo que devemos cultivar sempre, em qualquer momento da vida. É a nossa capacidade de nos colocarmos no lugar do outro e enxergar o mundo através de sua ótica. Esse exercício nos ajuda a entender as motivações e os comportamentos das pessoas com quem nos relacionamos, o que facilita a comunicação. Não se trata de sentir o mesmo, ou de concordar sempre com o outro, e sim de respeitar e compreender o que pensa, sente e fala. Neste artigo falamos mais sobre empatia, e sobre como usá-la em apresentações.

 

Durante uma reunião decisiva, a empatia também faz toda a diferença. Nessas ocasiões, é muito provável que você tenha uma interação pessoal, um a um. Para aproveitar esse momento de maior contato, criar uma conexão com a pessoa que está do outro lado da mesa e, assim, aumentar suas chances de sucesso, separamos algumas dicas para desenvolver a empatia.

 

A linguagem empática

 

Antes de mais nada, busque sempre a conexão visual. O fato de olhar nos olhos da pessoa com quem você está conversando indica que você está atento a ela, às suas reações e colocações. Mas não encare fixamente, uma vez que isso pode ser mal interpretado.

 

Outra dica importante é permear sua fala com pausas, principalmente quando você faz alguma reflexão. Alguns segundos bastam para que os presentes processem o que foi dito. Isso costuma ser interpretado como um gesto respeitoso por quem ouve.

 

Procure também ser generoso nas trocas durante uma reunião. Sempre que alguém apresentar um ponto de vista específico, ou até diferente do seu, reconheça a validade dessa colocação. Uma reunião é o momento em que diversas perspectivas são debatidas, e mostrar que você está atento a isso ajuda a desarticular possíveis conflitos.

 

Enfrentando comportamentos hostis

 

A propósito de conflitos, a empatia ajuda a superá-los durante as reuniões. Pois é comum, nessas ocasiões, encontrarmos pessoas que se expressam de forma aparentemente hostil. “Não concordo com o que você está falando”, ou mesmo “acho uma besteira o que você disse” são frases comuns nessas situações.

 

Nesses momentos, colocar-se no lugar do outro ajuda a entender que a intenção dele não é provocar algo em você, mas atender a alguma necessidade específica dele próprio, da qual ele muitas vezes sequer tem consciência. É fácil pensarmos que a pessoa quer nos desafiar, mas não é isso o que acontece; nós é que nos sentimos desafiados.

 

Mas como manter o controle emocional e gerar empatia nessas horas acaloradas? Primeiramente, fique atento à linguagem (verbal e não verbal) da pessoa. Procure manter a atenção plena durante a reunião, entendendo as ênfases da pessoa, procurando indícios daquilo que está por trás de suas colocações. É provável que você descubra o que motivou aquela reação, a princípio ofensiva. Sabendo a origem da insatisfação, você pode reconstruir seu discurso ou ceder em algum ponto da sua argumentação.

 

Postura generosa, sempre

 

A generosidade no discurso também é fundamental. Reconheça que existem visões divergentes e que o debate sobre essas visões ajudará a criar um consenso. Depois, faça uma pausa e mantenha-se atento à expressão da pessoa. Certamente a tensão dela vai diminuir.

 

Ao perceber isso, proponha uma pergunta: “o que, especificamente, você acredita que não vai funcionar?”, ou “com o que você não concorda?” Trata-se de outra demonstração de generosidade – e de empatia -, porque você abre espaço para que a pessoa sustente o ponto de vista dela.

 

Depois de ouvir a argumentação, você pode lançar mão de um recurso muito eficaz: a recapitulação. Você interpreta com as suas palavras o que a pessoa disse, numa espécie de paráfrase. Com isso, você demonstra que está preocupado com as necessidades da pessoa, o que reduz ainda mais os mecanismos de defesa dela.

 

Uma última dica: preste muita atenção às palavras. Na hora de realizar essa recapitulação, um simples “mas” pode colocar tudo a perder. Prefira “e”, “junto com” ou expressões que indiquem soma, e que mostrem que você realmente vai incluir esses pontos de vista na decisão final.

 

Com essas orientações, você conseguirá ser mais empático durante reuniões. Agora, caso ainda precise de uma força, pode contar com a gente. Clique aqui para conhecer os nossos treinamentos ou mande um e-mail para contato@soap.com.br. Nós teremos prazer em te ajudar.