Loading

BLOG MOMENTOS DECISIVOS


O CEO da Amazon é contra o PowerPoint. Isso faz algum sentido?

SOAP Comunicação Corporativa
1.679 views
O CEO da Amazon é contra o PPT. Isso faz algum sentido?

O PowerPoint está de volta ao centro da polêmica. O culpado é Jeff Bezos, fundador da Amazon, a empresa toda-poderosa do varejo.

 

Já faz alguns anos que a companhia baniu os slides de qualquer apresentação interna, mas o tema ressurgiu porque em abril, em sua carta anual aos investidores, Bezos voltou a falar sobre o assunto. Inclusive, os sites Update or Die e InfoMoney também publicaram artigos sobre o tema.

 

“Não usamos PowerPoint (ou qualquer outro recurso com slides) para fazer apresentações na Amazon.

Em vez disso, escrevemos memorandos de seis páginas com estrutura narrativa.”

 

Pronto.

Bastaram algumas linhas para deixar o mundo da comunicação em polvorosa.

E nós, da SOAP – empresa pioneira no segmento de construção de apresentações profissionais no Brasil, queremos contribuir com essa discussão.

 

A verdade é que concordamos com Bezos.

Assim como ele, também defendemos que a estrutura narrativa é a parte mais importante de qualquer apresentação. A capacidade de contar uma história e de estruturar o raciocínio para defender uma ideia é fundamental para conquistar engajamento – seja dos colegas de trabalho, do cliente ou de um auditório com mais de mil pessoas.

Não existe assunto entediante se o apresentador souber se preparar, elaborando uma história que passe a mensagem que ele deseja e que, ao mesmo tempo, se conecte com os anseios e o conhecimento da audiência.

 

Ser um escravo dos slides e um papagaio de bullet points é um erro fatal mas, infelizmente, comum.

Frases e números soltos no PowerPoint não contam uma história, apenas deixam os interlocutores com sono. É preciso ligar os fatos e trazer emoção, altos e baixos, assim como em um filme da Marvel.

 

Para a SOAP, “informações espalhadas pelas páginas”, como ele disse, não são uma apresentação.

São um documento ou um resumo.

 

Uma apresentação de fato envolve estudar a audiência, definir um objetivo, fazer um roteiro, criar uma história, exercitar o controle emocional e sempre que possível, para auxiliar na retenção de tudo isso… construir o apoio visual.

 

É nesse ponto que – sorry, Bezos – teremos que discordar daqueles que desejam abolir o PowerPoint.

Não devemos ser radicalmente contra uma ferramenta só porque a maioria das pessoas não sabe como utilizá-la a seu favor. Slides bem planejados e desenhados podem ser uma arma secreta para conquistar qualquer audiência, mesmo quando se trata de uma reunião interna e de poucos minutos.

 

Você provavelmente já ouviu alguém dizer que uma imagem vale mil palavras. Nós seguimos esse princípio.

Imagine que sua empresa passou por uma reestruturação e você é um gestor comunicando aos seus funcionários a necessidade de se adaptar ao novo momento. Agora, imagine um slide ao fundo com um belo camaleão colorido.

Com certeza a imagem causará impacto.

 

Quando é necessário falar de números, os dados podem fazer muito mais sentido em um gráfico bem desenhado.

Uma palavra chave em destaque no slide é outro recurso poderoso.

 

O recurso visual, portanto, serve para enriquecer o relato, contribuir para o entendimento e pode ser decisivo para prender a atenção. Mas reforçamos: ele é um apoio, que só é útil quando está conectado à narrativa criada pelo apresentador.

Uma apresentação é como o ser humano, tem “mente” e “corpo”. A mente é a estrutura da história (racional e emocional). O corpo é a forma como o apresentador se expressa, tanto em sua oratória, quanto na linguagem visual.

O PPT nada mais é do que uma plataforma para a linguagem visual, uma camada importantíssima da comunicação interpessoal.

 

Em sua carta deste ano, ao falar sobre a escrita dos memorandos, Bezos faz uma reflexão sobre tempo. Diz que os melhores documentos são escritos e reescritos, compartilhados com colegas para uma segunda opinião e editados por uma cabeça descansada. Ou seja, um trabalho excelente requer tempo. Então, queremos terminar a nossa reflexão voltando a concordar com o dono da Amazon.

 

Uma boa apresentação também precisa de dedicação.

Seja para chegar à melhor versão da sua história ou para ter os slides mais memoráveis da sala.