BLOG MOMENTOS DECISIVOS


Efeito “UAU!”: TED do ilustrador Christoph Niemann traz dicas para um visual incrível

SOAP Comunicação Corporativa
2.602 views
TED do ilustrador Christoph Niemann traz dicas para um visual incrivel em apresentacoes profissionais SOAP

Quando o alemão Christoph Niemann resolve falar sobre a criação de imagens, vale a pena parar para escutar.

Não só por ele ser um ilustrador super-respeitado, mas porque conhece como poucos o poder do visual. Niemann sabe como um desenho, por mais simples que seja, pode tocar fundo as emoções de quem o vê.

 

O ilustrador também entende de simplicidade, um conceito que adoramos aqui na SOAP. O trabalho dele é de um minimalismo impressionante, com poucos traços e uso econômico de cores. A singularidade, como você pode ver na apresentação dele no TED Talks, é a interação dos desenhos com objetos “reais”, o que torna as ilustrações impactantes e divertidas. Com poucos recursos, elas dizem muito.

O poder da linguagem visual

 

De acordo com Niemann, o que faz a linguagem visual poderosa é a possibilidade de comunicar uma ideia complexa de uma forma simples e eficiente, algo que nós também defendemos para apresentações. Mais importante, as imagens podem evocar emoções. Ele dá o exemplo do sinal de Wi-fi: quando chegamos a um lugar novo e desconhecido e vemos esse símbolo, nós nos sentimos felizes, aliviados.

 

Quanto mais profundo algo estiver em nossas consciências, menos detalhes serão necessários para que tenhamos uma emoção a respeito disso. Com exemplos bastante ilustrativos, o ilustrador mostra que isso acontece porque nós somos muito bons em “preencher os vazios”; as imagens se formam em nossas mentes. Aliás, a imagem é uma excelente ferramenta para ativar a memória do público, já que costumam ser gravadas mais facilmente do que conteúdo escritos nos slides.

 

Então, de quanta informação precisamos para gerar compreensão, emoção e memorização na audiência? Niemann responde que seu objetivo, como artista, é usar o mínimo possível. “É absolutamente fundamental ter um bom entendimento do vocabulário visual e cultural de sua audiência”, afirma. Se você acompanha o blog da SOAP, deve saber que sempre insistimos nesse ponto. Para se comunicar bem, é preciso levar em consideração o conhecimento e as referências do público, seja uma pessoa ou um auditório cheio.

 

O ilustrador também faz uma provocação, dizendo que muita gente subestima a capacidade de as pessoas interpretarem imagens, e por isso vemos tantos clichês por aí. “Ah, não vão entender essa nova abordagem, é melhor colocar algo mais conhecido.”

 

Na SOAP, nós vivemos isso com frequência. É comum propormos metáforas para um cliente e, por insegurança, ele optar por um caminho mais óbvio. Só que quando realizamos uma associação inesperada, ativamos o cérebro do público, o que faz com que a informação seja retida por mais tempo. Esse é o nosso trabalho: não apenas ilustrar, mas criar um símbolo visual que contribua para o entendimento e a retenção da mensagem.

 

E não devemos subestimar as pessoas na hora de elaborar esses símbolos, lembra Niemann. Afinal, elas são “fluentes” na linguagem visual (mesmo sem ter consciência disso), e isso precisa ser considerado na hora de montar o visual das apresentações.

 

O momento “UAU!”  

 

Niemann se considera bem-sucedido quando percebe que as pessoas, ao verem suas ilustrações, dizem “a-há!”. Mas isso, lembra ele, não quer dizer que ele próprio tenha tido um momento eureca na hora de criar a imagem. “Preciso de uma apresentação que tenha o fator UAU – aliás, é por esse motivo que muitos de nossos clientes nos procuram, porque é a nossa especialidade.

 

No entanto, tanto o processo de criação aqui na SOAP quanto o de Niemann não são nada “sexy”, pois consistem de uma série de pequenas decisões de design que podem levar a uma ideia. Como na poesia, afirma o ilustrador alemão, podemos “desenterrar” imagens que estão na cabeça da audiência, mas das quais ela não tinha se dado conta até ali.

 

Niemann conclui com aquela que considera a principal característica, ou habilidade, de um artista: empatia, algo que também pregamos muito aqui na SOAP e nos projetos que desenvolvemos. Criatividade é importante, metodologia também, mas precisamos dar um passo atrás e olhar para o visual usando a perspectiva da audiência. Ou seja, tentar olhar com os olhos do outro, da pessoa para quem aquela comunicação foi criada. Quando fazemos isso, a mágica real não acontece no papel, ou na apresentação: acontece na cabeça do público.

 

E aí, pronto para construir um visual poderoso com essas dicas? Para ficar ainda mais afiado, você pode navegar aqui no blog da SOAP e conferir nossos posts ou, ainda melhor, participar dos nossos cursos de comunicação corporativa, como o SOAP Visual e o SOAP Slides. E caso precise de uma ajudinha extra, entre em contato com a gente!