BLOG MOMENTOS DECISIVOS


Melhores e Maiores de EXAME 2018 mostra que é hora de os líderes colocarem comunicação como prioridade

SOAP Comunicação Corporativa
784 views

O anuário Melhores & Maiores, da revista Exame, que reconhece as principais empresas do país, trouxe para nós, da SOAP, uma notícia que é boa e ruim ao mesmo tempo.

 

Este ano, a publicação consultou os líderes das companhias sobre como estão conduzindo os negócios e qual o foco de sua gestão. Entre as ações que os gestores consideram mais importantes, a comunicação aparece em quinto lugar. Do total de entrevistados, 9% responderam que sua prioridade é “comunicar-se melhor com todos os níveis”. Eis a notícia boa: a comunicação está no radar!

 

Qual é a notícia ruim?

 

O problema que enxergamos aqui na SOAP é que os líderes continuam vendo a comunicação como algo separado das prioridades de suas empresas, como uma meta à parte. Nós, por outro lado, temos certeza de que a comunicação deve ser algo que atravesse todas as iniciativas porque pode tornar qualquer entrega mais eficiente.

 

Por exemplo, a primeira ação que os gestores consideram mais importante é “equilibrar ações de revitalização e de racionalização” (15%), seguida por “gerar resultados superiores” (10%), “mobilizar as pessoas para um propósito comum” (10%) e “direcionar as ações para a eficiência operacional” (10%). Sem boa comunicação, nenhum dos objetivos mencionados nessa lista pode ser atingido. Como mobilizar pessoas se não houver empatia e escuta ativa, duas técnicas sobre as quais sempre falamos aqui no blog?

 

Uma empresa é feita pelas pessoas que trabalham nela, da base ao topo. Se os líderes não forem bons comunicadores, não serão capazes de transmitir a cultura a seus liderados. O que, no fundo, significa que a empresa rapidamente perderá sua essência. Fica difícil “gerar resultados superiores” se os executivos sequer conseguem dizer que resultados são esses e de que maneira eles podem ser atingidos.

 

Agenda lotada não é desculpa

 

Muitas vezes, os líderes atribuem a má comunicação ao excesso de compromissos e à quantidade de preocupações diárias. Por isso, toda vez que surge uma nova demanda, passam apressadamente a orientação para suas equipes, sem tempo de esclarecer dúvidas, de ouvir questionamentos ou de falar sobre sua própria experiência em desafios parecidos. Depois, quando recebem uma entrega diferente do que esperavam, reclamam.

 

Nesse ambiente, alguns profissionais tendem a pensar “como depois vou ter de refazer, vou fazer a primeira vez de qualquer jeito”. Pior ainda: ficam com medo de passar vergonha ou de serem repreendidos, o que limita cada vez mais sua vontade de fazer perguntas. A consequência é que o líder pode ficar sabendo tarde demais que um projeto não estava fluindo como deveria.

 

Para evitar estas situações, é importante ter um canal de comunicação sempre aberto, que deixe a equipe à vontade para falar, seja qual for a iniciativa da vez.

 

Ambiente confortável

 

A motivação e o engajamento também dependem da habilidade comunicativa dos líderes. Como passamos boa parte de nossos dias no trabalho e nem todos eles começam ou terminam como gostaríamos, ter um chefe que inspira, que nos ouve e nos entende pode ser um alívio diante de situações de tensão.

 

Por isso, a SOAP defende que os líderes se esforcem para se comunicar melhor e aprendam como abordar cada pessoa. Porque cada indivíduo é único. O que motiva um pode frustrar o outro e vice-versa. Sem essa sensibilidade para se comunicar, empurrando sempre a mesma mensagem, será mais difícil atingir objetivos e fazer com que todos trabalhem juntos, alinhados ao mesmo propósito.

 

Se pudéssemos acrescentar uma pergunta na consulta da Exame aos entrevistados, seria essa: “como a comunicação ajuda a implementar as ações que sua empresa considera mais importantes?”. Porque, mais do que uma prioridade, a boa comunicação deve ser a base das prioridades de qualquer organização.